O governo australiano pode estar a preparar-se para impedir a Huawei de fazer parte do lançamento da sua infraestrutura 5G. A proibição surge depois das agências de inteligência australianas terem alertado que a tecnológica chinesa pode ser obrigada a fornecer dados pessoais ao governo de seu país, noticia a Reuters.

"É uma empresa chinesa e, sob a lei comunista, tem que trabalhar para as suas autoridades quando isso for pedido”, disse uma fonte do governo à agência de notícias.

Embora a informação ainda não tenha sido confirmada, há vários anos que as forças de segurança ocidentais levantam questões relativamente aos laços da Huawei com o governo chinês e à possibilidade dos seus equipamentos serem usados para espiar.

Como prova de boa-fé e tendo noção das suspeitas que recaem sobre si, a tecnológica terá feito um acordo para que todos os seus dispositivos fossem analisados por equipas de especialistas na Austrália, Reino Unido e outros países europeus.

Contudo, esta iniciativa de transparência parece não ser suficiente para o governo australiano que receia que a companhia sedeada em território chinês use medidas para reduzir a capacidade da rede ou que partilhe dados não só de cidadãos, mas também de empresas e órgãos governamentais.

O diretor da Huawei na Austrália, John Lord, afirmou que as alegações são falsas e lembrou que as leis que obrigam as empresas a ceder informações ao governo só têm validade em território chinês, não sendo aplicadas em operações realizadas fora do país. O responsável garantiu a segurança dos equipamentos e lamentou a possibilidade de um fim da parceria.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.