Uma pesquisa efectuada pela IDC, revelou que a proposta sugerida pela Federal Communications Commission (FCC) sobre o levantamento da proibição ao uso de telemóveis, é contestada por um vasto número de passageiros aéreos. Apenas 11 por cento de 50 mil inquiridos aceita o uso de telemóveis a bordo de um avião.

A pesquisa, que procurou evidenciar as oportunidades para as operadoras móveis no mercado aéreo, identificou uma correlação entre o nível de interactividade de um serviço e o interesse do utilizador nesse mesmo serviço. Entre as 11 actividades específicas dos serviços móveis, 64 por cento dos utilizadores considerou a partilha de SMS e a ligação à Internet como o mais serviço mais benéfico.

Segundo o mesmo relatório, o uso de telefones móveis a bordo dos aviões poderia beneficiar o mercado de telecomunicações conduzindo ao aumento das receitas médias por utilizador (ARPU), oferecendo novas oportunidades para as operadoras móveis e para as companhias aéreas, que poderiam fornecer serviços próprios de comunicação.

Algumas fabricantes móveis já iniciaram alterações na tecnologia para que se possam efectuar e receber chamadas durante voos comerciais. Na semana passada, a Ericsson anunciou o lançamento de um sistema para serviços de bordo salvaguardando que este não interferirá com os comandos da aeronave, nem com as redes terrestres wireless.

Nos EUA a proposta da FCC está em apreciação, mas a palavra final cabe à Autoridade Federal de Aviação. Na Europa, a proibição teria que ser levantada pelas autoridades aéreas de cada Estado membro.

Notícias Relacionadas:

2005-04-07 - Receitas de mensagens móveis crescem pouco até 2010 apesar de aumento acentuado no tráfego

2004-12-12 - Vodafone testa ligação da Connexion para serviços de dados móveis em aviões

2004-07-22 - Internet de banda larga e utilização de telefones móveis em aviões na base de nova aliança

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.