A Compuware apurou que 73 por cento dos empresários europeus do sector das Tecnologias de Informação continuam preocupados com a qualidade e fiabilidade das conversações VoIP. No entanto, um estudo levado a cabo pela Frost&Sullivan leva a concluir que este tipo de ligações serão responsáveis por 75 por cento do tráfego mundial de voz em 2007.



Estes dados levam a concluir que, apesar dos custos deste tipo de chamadas serem reduzidos e apelativos para as companhias, a fiabilidade actual da tecnologia constitui ainda uma fonte de preocupação junto do sector empresarial.



Uma das possíveis causas para a renitência das empresas prende-se com o facto de muitas delas (39 por cento) não medirem o impacto na rede ao lançarem novas aplicações como o VoIP



Muitas das empresas não estão a tomar as medidas apropriadas antes de implementarem a tecnologia, o que poderá afectar o desempenho da aplicação por não verificarem de forma prévia se os serviços funcionam correctamente.



Os dados do estudo mostram que apenas oito por cento das companhias fazem a gestão e monitorizam as chamadas a nível individual, um valor baixo na medida em que esta é a única forma das organizações assegurarem o nível de qualidade e fiabilidade requeridos.



Apenas 37 por cento dos directores de TI confia no feedback retrospectivo dos utilizadores, o que leva a que, na ocorrência de problemas, estes só possam ser resolvidos após terem acontecido.



O estudo mostra que 72 por cento dos departamentos de TI adoptam medidas básicas na monitorização da rede preferindo uma analise global das redes, de forma a verificar se as aplicações funcionam correctamente, ao invés de examinarem o desempenho individual de cada aplicação.



Tendo em conta estes dados é provável que a qualidade do serviço VoIP possa diminuir pois os departamentos de TI não terão uma visão interna ampla necessária acerca do desempenho das aplicações.



Muitas das vezes o aumento da largura de banda é a medida utilizada pelos directores de TI para contornarem os problemas no uso da rede. Contudo, com esta estratégia, acabam por passar ao lado dos verdadeiros motivos que levam ao fraco desempenho da solução uma vez que não procuram as verdadeiras causas do problema.



Para o director global da Compuware, Michael Allen, não deixa de ser surpreendente que a qualidade e fiabilidade ainda são as principais preocupações das empresas, numa altura em que o VoIP "já se encontra na agenda de prioridades de muitas" companhias. No entanto o mesmo responsável defende que para que a qualidade seja atingida é necessário deixar de tomar apenas "técnicas simplistas" e passar a utilizar medidas mais apropriadas de monitorização.

Notícias Relacionadas:

2006-10-10 - TI assumem papel mais relevante na potenciação do negócio das empresas

2005-04-07 - Empresas encaram TI como ferramenta competitiva para os próximos cinco anos

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.