O Governo moçambicano vai exigir às operadoras de telemóveis que cobrem uma nova taxa mensal aos seus clientes, destinada a financiar o recém-criado Fundo para o Desenvolvimento dos Transportes e Comunicações.

Estabelecido com vista a "acelerar a Estratégia para o Desenvolvimento Integrado do Sistema de Transportes", o novo Fundo é financiado, entre outras fontes, pelo Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM) que, de acordo com o presidente do conselho executivo da Vodacom, José dos Santos, estipulou os valores de cinco meticais (0,10 euros) para utilizadores do pré-pago e 30 meticais (0,61 euros) para os de pós-pago, refere a Lusa.

A taxa é estabelecida no mesmo decreto-lei que obriga os utilizadores de telemóveis do serviço pré-pago a registar os seus cartões, uma medida que terá sido precipitada pelos violentos protestos contra o aumento do custo de vida de 1 e 2 de Setembro, convocados sobretudo através de SMS.

As autoridades, por sua vez, defendem que o registo obrigatório pretende "garantir protecção dos utilizadores e segurança das pessoas no geral, assim como de instituições que têm estado a ser roubadas e burladas com base no uso de cartões pré-pagos das duas operadoras móveis".

Os cidadãos deverão dirigir-se às suas operadoras, até dia 15 de Novembro, munidos dos respectivos bilhetes de identidade e certificados de residência ou outros documentos válidos, onde irão responder a um formulário já disponível, informa o Governo moçambicano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.