A cidade tem já colocadas mais de 100 câmaras de videovigilância em quase 30 infraestruturas públicas de uso comum onde se incluem, edifícios de serviços, museus e instalações culturais, pavilhões e complexos desportivos, parques de estacionamento e edifícios universitários, entre outros.

No evento que a Oni organizou com a Câmara Municipal das Caldas da Rainha foram demonstradas ao vivo situações que os sistemas de videoproteção inteligentes podem ajudar a prevenir ou a resolver, em ambiente urbano, florestal e costeiro.

Infrações na estrada, como automóveis em contramão ou mal estacionados, segurança dos cidadãos, nomeadamente aglomerações inesperadas de pessoas ou objetos abandonados, e deteção de incêndios em áreas florestais são alguns dos exemplos práticos.

"Esta é a aplicação da tecnologia a uma das dimensões mais importantes das nossas vidas como é a segurança de pessoas e bens", salienta Joaquim Jesus Santos, administrador da ONI.

Além da plataforma implementada nas Caldas da Rainha, a Oni tem vários projetos nesta área, nomeadamente a instalação de câmaras de videovigilância nas escolas públicas E.B. 2º e 3º ciclos, sob gestão do Ministério da Educação, considerado o maior projeto de videovigilância IP a nível europeu, com mais de 1.200 unidades de gravação vídeo e mais de 12.000 câmaras IP e 47.000 sensores instalados.

Uma outra referência importante neste domínio é o sistema de videovigilância nos Casinos e salas de jogo, ganho através de concurso público internacional lançado pelo Turismo de Portugal.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.