Alexandre Fonseca, CEO do grupo, revelou esta manhã em conferência de imprensa que o novo plano estratégico da ONI, adquirida em agosto pelo grupo Altice, o mesmo que também detém a Cabovisão, passa por uma forte aposta na oferta de serviços integrados.



Nessa lógica, o responsável assume que juntar à atual oferta uma componente móvel é fundamental e que, para tal, a empresa está negociar com os operadores de rede um acordo de OMV - operador móvel virtual.



A expectativa da empresa é que até final do ano o acordo esteja finalizado e a operadora esteja em condições de adicionar esta componente à oferta. Para já o responsável não quis revelar com quem mantém negociações mais avançadas neste momento.



No evento que serviu para partilhar a nova estratégia da ONI, Alexandre Fonseca também admitiu que o grupo Altice tem planos mais ambiciosos nesta área das comunicações móveis, enquanto frisava que o modelo de operação móvel virtual (MVNO - sigla em inglês) praticado em Portugal não é rentável.



Para a ONI será opção apenas porque é "o caminho mais curto" para poder chegar a este mercado, mas não será a aposta definitiva. O grupo tem vindo a estudar cenários de fusão ou aquisição e pode avançar nesse sentido já no próximo ano.



"O MVNO é o primeiro passo mas não é certamente o passo de gigante. Esse virá em 2014", garantiu Alexandre Fonseca.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.