O Parlamento Europeu aprovou um relatório onde são apresentadas algumas recomendações relativamente ao posicionamento das antenas de telefonia móvel. Segundo o documento é necessário que todos os governos dos Estados-membros estabeleçam uma "distância mínima" entre as estações base e os locais onde se encontre população sensível, sejam escolas, lares de idosos ou centros de saúde e hospitais.

O relatório, apresentado pela deputada belga Frédérique Ries e aprovado com 559 votos de entre os 589 totais, defende que os operadores deverão reorientar este tipo de plataformas para que "os campos electromagnéticos não interfiram de forma directa com a população" concentrada nas proximidades.

Para o PE, o papel dos Governos passa pela criação de mapas que alertem a população para as zonas de maior exposição àquele tipo de campos e quais os efeitos que estes podem ter na saúde pública.

Neste campo, os eurodeputados pediram ainda a intervenção da Comissão Europeia das Telecomunicações e a aplicação de fundos das redes transeuropeias para o estudo do impacto das antenas de telecomunicações na vida dos cidadãos. Os representantes europeus pediram ainda que fossem apresentados os motivos que justificam a não publicação de um relatório sobre este tema em 2006 e onde era, supostamente, determinada relação entre as antenas e as doenças oncológicas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.