O projeto já está no terreno há um mês. A fase piloto teve início no final de dezembro e abrangeu quatro freguesias. A expansão para as 386 localizações que vão receber as novas sondas já está a ser feita e até final do segundo trimestre, início do terceiro, estará concluída.

O novo sistema vai permitir a monitorização em tempo real da qualidade do sinal nos locais onde as sondas estiverem instaladas. A cada segundo comunicam com o centro de dados da Anacom, que analisa a informação e com base nesses dados pode solicitar medidas corretivas ao operador, que é a Portugal Telecom.

A tecnologia usada para levar ao terreno o novo sistema foi desenvolvida por empresas portuguesas e contou com a parceria de duas universidades portuguesas. Custou à Anacom 447,5 mil euros, um valor que o regulador define como muito inferior ao das soluções chave-na-mão que existiam no mercado.

Além de mais dispendiosas, as soluções já existentes no mercado não respondiam às necessidades técnicas que o regulador queria ver garantidas, o que justificou a opção de avançar com um concurso público internacional para uma solução à medida.

As empresas que desenvolveram a tecnologia foram a Ubiwhere e a Wavecom. As instituições de ensino superior que trabalharam na supervisão técnica do projeto foram o INESC e a faculdade de engenharia da Universidade do Porto.

A monitorização de qualidade do sinal da TDT estava a ser feita apenas de forma parcial, levando os recursos disponíveis a diversos pontos do país para fazerem medições da qualidade do sinal. Eram usadas três carrinhas equipadas com a tecnologia necessária para recolher a informação e averiguar queixas de problemas em determinado local.

Com esta estrutura foram realizadas mais de 500 ações de fiscalização, desde finais de 2011. Como reconheceu esta manhã em conferência de imprensa Fátima Barros, presidente do regulador, era uma estrutura limitada para permitir uma visão a nível nacional, que "não garantia um espectro continuo de monitorização".

O concurso público para encontrar os fornecedores e a solução técnica para o novo sistema foi lançado em janeiro do ano passado e visou a aquisição de 400 sondas. Para já serão instaladas 386. As restantes vão constituir uma reserva que pode permitir o reforço das medições em determinados locais.

No final de dezembro arrancou o piloto, que cobriu as freguesias de Benavente, Benfica do Ribatejo, Vialonga e Odivelas.

No mesmo evento Fátima Barros adiantou que está para "muito breve" o lançamento de uma nova consulta pública sobre a TDT. A iniciativa é da ERC e da Anacom e os contributos de cada entidade estão já em fase de aprovação pelos respetivos conselhos de administração.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.