Depois de marcar presença na cerimónia pública em que Viviane Reding deu a conhecer as intenções da Comissão Europeia relativamente às taxas de roaming no espaço da UE, o Grupo de Reguladores Europeus vem agora emitir um comunicado dando conta de preocupações com a anunciada redução de 40 por cento nos preços de retalho prevista para o próximo ano.



O GRE alerta para as possíveis "consequências inesperadas" da medida e considera que faria mais sentido intervir no sentido de promover uma redução nos preços praticados a grosso. Caso contrário, e tendo em conta que Vivian Reding quer uniformizar os preços das chamadas domésticas com o preço das chamadas internacionais, o grupo considera que os preços das chamadas domésticos podem disparar para tornar possível a uniformização sem perdas significativas de receita.



"Partilhamos com a Comissão o desejo de ver os preços continuarem a descer. Ainda assim, continuamos a acreditar que isto pode ser mais facilmente conseguido através de uma regulação dos preços grossistas", explica Kip Meek, presidente do GRE.



O grupo sugere que a CE imponha uma tarifa única a aplicar no mercado grossista, entre operadores, em torno dos 0,30 euros o que já significaria uma descida expressiva relativamente à média actual de 0,70 euros.



Ao longo deste semana Vodafone, O2, T-Mobile, Orange e Telefonica já anunciaram descidas de preços nas suas tarifas de roaming, num movimento que antecipa as medidas da CE. De acordo com informação disponibilizada pelos reguladores, os operadores chegam a ter margens de 100 por cento nas tarifas de roaming cobradas aos seus clientes.



Notícias Relacionadas:

2006-05-08 - Operadores móveis europeus antecipam medidas para a redução das tarifas de roaming


2006-02-09 - Novas regras para o roaming na UE entram em vigor na segunda metade de 2007

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.