A portuguesa Mind Source, uma empresa do grupo SetCom, foi uma das organizações distinguidas no início do ano com o prémio de melhor empresa para trabalhar.



O TeK falou com a consultora para perceber a importância da distinção, que a colocou ao lado das filiais portuguesas de grupos internacionais da mesma área de actividade e o posicionamento da organização no mercado português.



Francisco Fonseca, administrador da empresa, também revelou alguns números e objectivos para o futuro desta consultora integrada num grupo que conta actualmente com mais de 300 colaboradores.

[caption]Nome da imagem[/caption]

TeK: A Mind Source foi uma das empresas que este ano integrou a lista das melhores empresas para trabalhar. Que elementos conduziram a esse reconhecimento? Que iniciativas mais foram destacadas pelos vossos colaboradores?
Francisco Fonseca:
Sermos distinguidos logo no primeiro ano em que nos candidatámos como a 5ª Melhor Empresa Portuguesa para Trabalhar foi, sem dúvida, resultado de um caminho que temos vindo a construir desde que a Mind Source foi criada.
Na Mind Source o principal activo são as Pessoas! Faz parte da nossa política de responsabilidade social que os nossos colaboradores estejam tão satisfeitos quanto os nossos clientes e trabalhamos para servir ambos estes interesses em paralelo, por acreditar que não são factores mutuamente exclusivos e que as empresas têm que ter cada vez mais este papel na sociedade, o que torna este desafio empresarial bastante exigente e divertido.
A distinção do Great Palce to Work Institute é resultado das políticas internas bem conseguidas como o Plano de Carreira pensado à medida de cada consultor, o Programa de Mentoring que permite que os novos talentos sejam acompanhados por um consultor mais sénior na sua compreensão e no seu envolvimento com a organização, e ainda as políticas de Premiação Extraordinária que reconhecem o esforço e o desempenho de cada consultor ao longo do ano. Todas estas inciativas são essenciais para manter uma equipa motivada e com vontade de "vestir a camisola".

Para os nossos consultores, as acções mais valorizadas são as actividades de team-building e as iniciativas Mind Fun Life. Estas são fundamentais para o espírito de equipa, inspiram a coesão do grupo e incentivam a ligação emocional do consultor à Mind Source e aos valores que cultivamos. Mas não só, quando nos referimos ao crescimento profissional, um dos motores mais reconhecidos pelo nosso público interno é o Plano de Carreira. Esta mais-valia possibilita que cada consultor, ao seu ritmo individual, faça uma análise do que pode melhorar e perceba o seu ritmo para poder crescer junto da organização. Claro que associado a este crescimento importa referir o apoio incondicional do Mentoring, que está sempre presente no desenvolvimento da carreira do consultor e na busca pela excelência no seu desempenho e, ainda, o nosso Plano de Formação que abrange diversas áreas.

No final, todos estes elementos alavancam a nossa forma de desafiar o mercado e o nosso posicionamento enquanto organização que é composta por Pessoas.


TeK: Em termos de negócio que áreas centram a actividade da Mind Source e, entre estas, quais as prioridades para este ano?
Francisco Fonseca:
A actividade da Mind Source divide-se em três grandes áreas de actuação: Technical Services, Business Services e Strategy Services.
Para cada área específica temos consultores especializados, tanto a nível técnico como funcional, o que permite entregar verdadeiramente o valor que os nossos clientes corporativos procuram.

Para 2011, o nosso compromisso prende-se com um investimento para continuarmos a inovar e a ser líderes de opinião nas áreas em que actuamos. Claro que, para termos a confiança dos stakeholders para os desafios que nos propõem é imprescindível sermos os mais disruptivos e continuarmos a apresentar soluções de sucesso que nos diferenciem no mercado. Esta diferenciação requer continuamente um investimento dinâmico da nossa parte, tanto na apreensão de know-how, como na disponibilização de novas ferramentas e serviços. A prioridade essencial da nossa lista é muito simples: queremos continuar a apostar nos nossos talentos para que possamos ser excelentes até nos pormenores que concebemos.


TeK: Em termos de internacionalização, há projectos em carteira?
Francisco Fonseca:
O nosso objectivo é continuarmos a crescer mesmo além-fronteiras. A médio-prazo e quando reunirmos um conjunto de factores que consideramos fundamentais, tais como a sustentabilidade e o crescimento coerente da organização, queremos desafiar novos mercados no contexto internacional aproveitando a presença que temos já enquanto grupo SetCom noutros continentes.

Temos já projectos em Espanha e França, mas acreditamos na nossa capacidade em proporcionar a mais mercados a qualidade e o conhecimento que temos vindo a implementar, até porque a experiência da nossa equipa sempre passou por projectos internacionais, o que fará com que de forma natural voltaremos a ocupar esse lugar.




TeK: O mercado em que se movimentam é muito competitivo. Em que elementos procuram apostar para fazer a diferença, para além das habituais qualidades de serviço e proximidade ao cliente que as empresas sempre referem?

Francisco Fonseca:
A nossa diferenciação baseia-se em dois factores críticos: a experiência da nossa equipa e o conhecimento profundo da realidade de negócio dos nossos clientes.
A experiência é para nós o factor-chave que alavanca as relações de sucesso que estabelecemos com os nossos clientes, colaboradores, parceiros e accionistas.
Este é um mercado muito competitivo e, perante isto, existem atitudes que se destacam e que geram relações de sucesso, tais como a proactividade que nos distingue e a nossa procura pela excelência em todos os projectos que desenvolvemos.
Somos uma equipa com uma visão disruptiva do negócio e queremos trazer esta perspectiva out of the box para o mercado. Somos uma organização que está constantemente à procura de oportunidades e desafios que demonstrem a nossa flexibilidade e capacidade de gerar valor superior para o mercado.




TeK: Quantos colaboradores trabalham no grupo e qual foi a facturação no ano passado?
Francisco Fonseca:
Um dos nossos objectivos para este 2011 é o aumento da nossa rede de talentos sempre de forma sustentada. Podemos dizer que estamos numa posição positiva quanto a esta prioridade, visto que desde o início do ano temos vindo a recrutar talentos nas mais diversas áreas e com diferentes qualificações. Em números, no total e até ao momento, o grupo SetCom é composto por cerca de 300 colaboradores e o volume de negócios ronda os 15 milhões de euros.

Ao avaliarmos o nosso crescimento organizacional em termos da performance financeira, verificamos que temos vindo a crescer de forma sustentada e positiva. Apesar da competitividade característica do mercado onde actuamos, o crescimento da Mind Source face ao ano transacto ultrapassou os 45% e as perspectivas para este ano continuam a desenrolar-se da mesma forma sustentada e consolidando com altos padrões de qualidade os valores que temos vindo a afirmar no mercado.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.