Existe há pouco mais de um ano e transformou-se rapidamente numa das maiores plataformas europeias do seu segmento. A Chic by Choice foi fundada por Filipa Neto e Lara Vidreiro e abre o acesso a peças de alta-costura a um maior número de carteiras. Também vem permitir às marcas otimizar a gestão de stocks e vender produtos em final de coleção.

O Reino Unido é o principal mercado da startup portuguesa, que levou as áreas de desenvolvimento de negócio e parcerias com marcas de luxo para Londres mas mantém o resto da operação em Portugal.

Esta semana anunciou a compra da La Remia, o maior player do segmento noutro mercado europeu onde a Chic by Choice quer estar em força e tirar partido da apetência pelo comércio eletrónico, a Alemanha. O projeto foi fundado por Anna Mangold e Claudia von Boeselager que se mantêm “a bordo” como consultoras para o desenvolvimento de negócio.

O TeK falou com Filipa Neto para perceber as razões do negócio e os planos para o futuro da startup portuguesa que tem na lista de investidores a Portugal Ventures e a Faber Ventures.

TeK: Que impacto terá a aquisição da LaRemia no vosso negócio e com que objetivos fizeram este negócio?
Filipa Neto:
A Alemanha é um dos principais mercados de comércio eletrónico e nós estávamos a ter um franco crescimento. Fazia todo o sentido acelerar a expansão da Chic by Choice num mercado com estas características. As fundadoras da empresa já tinha este know-how do mercado, sabiam como operar e tinham uma base de consumidores muito fiéis ao conceito. Quisemos trazer esse know-how e esses consumidores para a Chic by Choice. A aquisição da La Remia é mais um passo no crescimento da empresa.

TeK: Que planos têm para os próximos tempos em termos de expansão do projeto?
Filipa Neto:
Iremos continuar focados em mercados com elevado nível de compras online. A Chic by Choice tem pouco mais de um ano online e milhares de clientes fãs do serviço, pelo que existem muitas oportunidades de expansão tanto ao nível da oferta de produto, como ao nível de novas geografias.

TeK: Qual a dimensão da empresa comprada, face à vossa dimensão?
Filipa Neto:
A La Remia era o principal player local na Alemanha, mas tinha uma lógica de negócio local. A Chic by Choice é o principal player na Europa e já fez envios para mais de 14 países. A tração que existe na Chic by Choice é muito superior à que tem existido noutras plataformas locais. Conseguimos crescer muito rapidamente num curto espaço de tempo. Somos o único player que distribui praticamente por toda a Europa.

TeK: Hoje já estão em mais de uma dezena de países na Europa. O mercado britânico é neste momento o mais importante?
Filipa Neto:
O mercado do Reino Unido permanece o nosso principal mercado. Existe um grande à vontade com as compras online e elevado poder de compra. Londres é a cidade para a qual fazemos mais envios, mas sabemos que a nossa proposta de valor acaba por ser interessante de forma transversal. A intenção de compra na Chic by Choice é inclusivamente semelhante entre clientes dos 18 aos 55 anos.

TeK: E Portugal que espaço ocupa no leque de 15 países onde fazem entregas?
Filipa Neto: Portugal está no Top 5. Cada vez temos mais clientes que gostam muito do serviço e o partilham no seu círculo de amigas. Existe ainda uma boa divulgação nos meios de comunicação pelo facto de a empresa ser portuguesa.

TeK: Que componentes da vossa operação gerem a partir de Portugal?
Filipa Neto: Praticamente todos: tecnologia, design, operações, conteúdos e apoio ao cliente. Apenas a área de desenvolvimento de negócio e parcerias com marcas de luxo está em Londres.

 

Cristina A. Ferreira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.