http://imgs.sapo.pt/gfx/105080.gifA Neoris Portugal acaba de apresentar em Lisboa a sua nova estratégia Go To Market – uma abordagem vertical ao mercado dividida em cinco sectores de actuação: empresas de telecomunicações e media, administração pública, recursos naturais, banca e finanças, e o mercado de consumo e indústria – que será adoptada pelas restantes sete subsidiárias da Neoris, nomeadamente, Espanha, Brasil, Chile, Venezuela, México, Estados Unidos e Argentina.



O TeK aproveitou a renovação estratégica da empresa e foi falar com o seu gestor no nosso país, José Luiz Moutinho sobre os seus planos, soluções e expectativas para o mercado nacional.



TeK: Sendo a Neoris uma empresa relativamente nova no nosso mercado, gostaria que nos explicasse quais os seus objectivos e a quem se dirige especificamente.

José Luiz Moutinho:
A Neoris nasceu a partir do universo da cimenteira mexicana CEMEX que, no final da década de 80 decidiu digitalizar os seus processos de negócio. Essa orientação estratégica foi de tal forma importante para o desenvolvimento e crescimento da empresa que, em 1993, foi criada a CEMTEC, a área de desenvolvimento do negócio de IT da Cemex. Entre Fevereiro e Dezembro de 2000, a Cemtec desenvolveu uma estratégia de aquisições, transformando-se, então, em Neoris, uma empresa do Grupo CxNetworks, detida a 100% pela Cemex.

A Neoris está presente, actualmente em oito países (Portugal, Espanha, Brasil, Chile, Venezuela, México, USA e Argentina). No caso nacional, surgiu em Abril de 2001, em resultado da integração da Tinta Invisível - uma empresa nacional reconhecida na área das Tecnologias da Informação.

Depois de um processo de integração global e evolução da sua oferta, a Neoris definiu a sua estratégia de Go To Market. Com este novo modelo, a empresa visa, acima de tudo, fazer o levantamento das necessidades e do estado actual dos clientes, definir o mapa de evolução de acordo com parceiros e clientes para a implementação das operações. No fundo, trata-se de colocar à disposição dos seus target accounts, elevadas competências em consultoria de processos que permitam às empresas rentabilizarem os seus negócios através do aumento do nível de competitividade e eficiência. Os target accounts da Neoris são as grandes e médias organizações a operar em cinco áreas estratégicas: telecomunicações, entertainment, media; administração pública; recursos naturais; banca, finanças; o mercado de consumo e a indústria.



TeK: Que tipo de serviços disponibilizam?

JLM:
A Neoris é uma multinacional especializada em consultoria estratégica e de processos de negócio e sistemas de informação.

Desenvolve e implementa famílias de soluções orientadas para a criação de valor na cadeia produtiva das organizações (Supply Chain, Demand Chain e People & Operation), visando agilizar e rentabilizar os processos de negócio em áreas como: integração de sistemas, gestão de conteúdos, mobilidade, consultadoria estratégica, televisão interactiva, relacionamento com clientes, sistemas de informação empresarial, gestão de conhecimento, gestão da mudança, sistemas de gestão ambiental, logística.



TeK: As PMEs fazem parte do vosso mercado alvo, ou os projectos de menores dimensões não estão integrados na vossa área de actuação?

JLM:
Por agora, a Neoris está mais vocacionada para prestar serviços a médias e grandes empresas, até porque o nosso core é o desenvolvimento de soluções adaptadas às necessidades específicas de cada cliente, o que se traduz em investimentos por parte das empresas que nem sempre são acessíveis a estruturas mais pequenas. De qualquer forma, as PMEs estão cada vez mais atentas à necessidade de digitalização e optimização dos processos, pelo que, a Neoris poderá sempre dar-lhes o seu apoio ao nível de consultoria e desenvolvimento de soluções.



TeK: Em relação aos vossos targets accounts qual é o sector com maior relevância, ou seja, que mais requer os vossos serviços?

JLM:
Actualmente, a Neoris desenvolve projectos em empresas que actuam em áreas de actividade muito diversas. Por razões óbvias, o sector das telecomunicações é aquele que tem vindo, desde sempre, a investir mais em TI. Tem-se verificado, em Portugal, um crescimento exponencial também ao nível do e-government, com vários projectos já desenvolvidos e propostas em negociação. Mas, nos dias de hoje, qualquer uma das cinco áreas é abrangida de igual modo pela Neoris, até porque temos competências em qualquer uma delas.



Tek: Pode dizer-se que a Neoris Portugal é apoiada pelas outras sete subsidiárias da Neoris e vice versa, ou seja, se não existir uma solução adequada em Portugal para um cliente outra subsidiária pode auxiliar na procura de uma solução?

JLM:
Uma das grandes vantagens de estarmos incluídos numa multinacional é, sem dúvida, a elevada mobilidade e partilha de experiências que esse envolvimento estreito permite, nas duas vias. As soluções desenvolvidas pela Neoris são soluções específicas e desenhadas em conjunto com cada cliente por equipas que normalmente incluem elementos de vários países. O objectivo final é responder a necessidades de cada mercado, de cada indústria, de cada segmento, de cada departamento da empresa cliente.

Tendo em conta a estrutura que esteve na base da constituição da actual Neoris, Portugal é um dos países com mais competências ao nível da inovação, pelo que os profissionais da equipa portuguesa são bastante solicitados para integrar projectos internacionais.



Tek: Qual a relação com a Neoris na Espanha? Portugal é um mercado por si só ou vão encará-lo como mercado Ibérico?

JLM:
É importante salientar que a Neoris opera de uma forma integrada com as equipas dos oito países onde está presente. É comum que os projectos sejam desenvolvidos com base em troca de experiências e competências desenvolvidas nos vários países.

A estratégia de abordagem ao mercado é definida de forma local, isto é, de acordo com coordenadas ao nível de corporate mas desenvolvidas de acordo com as características próprias de cada país. A relação com Espanha é, por motivos geográficos e culturais, muito próxima, de qualquer forma, a Neoris não considera os mercados português e espanhol como um mercado Ibérico.

TeK: Quais as expectativas de resultados para este ano?

JLM:
A Neoris considera que, com o aumento da sua área de intervenção, o mercado nacional deverá registar um grande crescimento. Uma vez que se trata de uma oferta recente, necessitamos ainda de analisar o seu impacto no mercado antes de avançarmos com qualquer previsão de resultados.



TeK: Em que fase se encontram os projectos com entidades governamentais, nomeadamente, no âmbito do projecto Cidade Digital agora que o governo se encontra demissionário?

JLM:
Existem vários projectos em fase de apresentação e desenvolvimento interno, mas que, por isso mesmo, é prematuro referirmos. Quanto a clientes onde foram já desenvolvidos projectos, podemos dar como exemplo, o Ministério da Saúde, o Ministério do Trabalho e da Solidariedade e a actual ANACOM.



TeK: Quem são os vossos concorrentes no mercado nacional e internacional?

JLM:
Tendo em conta as especificidades e características da consultoria prestada pela Neoris, podemos dizer que a nossa concorrência é muito abrangente. Sendo o âmbito de actuação da Neoris assente na consultoria, implementação e operações ao nível da tecnologia e sistemas de informação, consideramos que a nossa concorrência se situa entre as maiores consultoras, integradores e fabricantes.

Essa concorrência, no moderno mundo da economia digital, transformou-se em "copetição" (cooperação + competição) que dá origem a alianças, joint-ventures, consórcios estratégicos e/ou pontuais, de acordo com o país e os projectos a desenvolver.



Natércia Pereira da Silva

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.