Por Carolina Afonso e Letícia Borges (*)


[caption]Carolina Afonso e Letícia Borges[/caption]
A forma como as pessoas procuram e consomem informação mudou, ou melhor, está permanente mudança. O acesso cada vez maior ao conteúdo de qualidade, e a precisão dos motores de busca contribuem para que o utilizador seja cada vez mais exigente, com a informação sempre à ponta dos dedos. “Content is King” é uma frase que já goza de alguma antiguidade no mundo do marketing, e que ainda hoje é bastante válida. Porém, tais mudanças fazem com que o conteúdo e a estratégia por detrás do mesmo sejam ainda mais importantes.

Nunca se falou tanto em “marketing de conteúdo”, mas como funciona?

Exemplificando de forma simples: se um negócio vende moda, em vez de usar os meios de comunicação, principalmente as redes sociais para divulgar apenas informação sobre o seu produto, deverá também procurar criar conteúdo atrativo para os seus consumidores a outros níveis. Poderá por exemplo criar artigos, imagens e dicas sobre como se vestir, ou mesmo sobre mascotes ou restaurantes, o que não está nada relacionado à moda, mas é extremamente interessante ao seu público. Através deste conteúdo, o consumidor chega ao produto de maneira natural, partindo de uma estratégia pull e não push.

O marketing de conteúdo visa criar mais proximidade entre marca e consumidor, incorporar a marca ao seu dia a dia de maneira quase imperceptível, criando afinidade.

Criar conteúdo relevante ao público-alvo é a melhor maneira para um negócio de ser encontrado de maneira orgânica e não invasiva. Mas por outro lado, com a imensidão de conteúdo que está a ser criado, torna-se bastante difícil sobressair, em quase todos os ramos de negócio. Portanto vale a pena destacar alguns aspectos que podem ser trabalhados para optimizar a estratégia de marketing de conteúdo:


  • 1) Por onde “passeia” o seu público? Qual é o seu “parque”?
    É extremamente importante adequar o conteúdo à rede social ou ao canal utilizado. Algumas redes sociais, como o Facebook, requerem histórias curtas, mas com certa estrutura, outras, como o Instagram, funcionam à base de imagens e hashtags, e o Twitter, por exemplo, requer um conteúdo mais crítico, com formato de opinião. De acordo com o canal mais frequentado pelo seu público deve-se dar ênfase ao tipo de conteúdo que mais se integra àquele que já consome no seu dia-a-dia.

  • 2) O grau de credibilidade depende de quem conta a história
    A credibilidade do conteúdo depende diretamente da maneira como ele é apresentado e por quem. Se uma empresa, por exemplo, deseja destacar as qualidades do seu produto perante a concorrência, a comparação terá muito mais valor e credibilidade se for realizada por um utilizador, um blogger da indústria ou um líder de opinião. Do mesmo modo, uma pesquisa realizada pela empresa não é o mesmo do que uma pesquisa realizada por uma empresa independente, ou especializada em pesquisas, o que será percebido com imparcial.
  • 3) Como é que o seu público encontrará o conteúdo?
    Esta questão começa com a procura, como o utilizador busca a informação que será disponibilizada, como chegará até esta, e a partir daí o que se espera conseguir. Para tal, é interessante pensar em que estágio do processo de compra o utilizador consumirá o conteúdo. A partir daí, então estabelecer as palavras-chave que mais de adequam aos possíveis termos de busca que seriam utilizados e como o conteúdo poderá agregar valor às distintas situações relacionadas a cada estágio.
  • 4) Identificar os interesses geradores de afinidade com o nosso produto/serviço
    Tal como referido anteriormente, para que o conteúdo surja de forma natural ao consumidor uma das técnicas a utilizar é a identificação das áreas ou temas que têm afinidade com a nossa audiência. É um pouco o que se passa com o “cross-selling”. Por exemplo, é natural que quem compre fraldas compre também toalhetes. O mesmo se passa com o conteúdo. É natural que quem esteja interessado em ténis de corrida goste de temas como nutrição e vida saudável. E é aqui que entra o marketing de conteúdo, criando pontes e acrescentando significado que se traduz em valor para a marca. Portanto, reflicta um pouco e pense quais os temas/áreas que se relacionam naturalmente com o seu produto e explore a relação de forma criativa.
  • 5) Criar o mix de conteúdos que melhor se adequam aos objectivos
    A criação de conteúdo deverá obedecer a um propósito estratégico, caso contrário, tratam-se de peças soltas criando ineficácia. O primeiro passo na escolha do seu mix é olhar novamente para os seus objectivos. Pretende informar algo à sua audiência? Educá-la? Entretê-la? Demonstrar-lhe expertise na área? A partir daqui é que se constrói o mix de conteúdos que podem incluir artigos, infografias, vídeos, animações, podcasts, tutoriais, apresentações, etc.
  • 6) Quais os recursos que tem disponíveis?
    É um pouco a velha questão do “não é possível fazer omeletes sem ovos”. É necessário olhar para a sua organização e perceber se tem colaboradores especializados, tecnologia de suporte e qual o montante que planeia investir. É certo que o marketing de conteúdo é uma poderosa ferramenta de “earned media”, ou seja, para conquista de espaço editorial nos meios, mas tal não significa que não tenha que investir em recursos para optimizar a sua estratégia.

A área de marketing de conteúdo é tão vasta que as dicas não se esgotam nestas seis. Contudo, estamos certas que estas são um primeiro passo importante na definição da sua estratégia e acredite que se aceitar o nosso desafio e pegar no lápis e no papel para fazer este exercício, verá que afinal o tema é bem mais complexo que aparenta.

Importante é ter a noção de que marketing de conteúdo implica alinhamento com a estratégia do negócio e os objectivos de comunicação, requer recursos especializados e, por fim, uma dedicação constante, pois a operacionalização requer monitorização, imprescindível para que haja retorno do investimento e optimização dos processos.



(*)autoras do livro “Social Target – Como tirar partido das redes sociais e potenciar o seu negócio”




https://www.facebook.com/SocialTargetTheBook.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.