teK: Este ano pela primeira vez a City Desk conseguiu ser seleccionada num grande concurso de equipamento informático na Administração Pública, no caso a Segurança Social. Pensa que durante o ano de 2004 poderemos assistir a uma maior abertura da AP para fornecimentos de empresas portuguesas no fornecimento de equipamento informático?

Delfim Pires, Director Geral da SOLBI / City Desk
http://imgs.sapo.pt/gfx/226146.gif

No que concerne às competências para o fornecimento de soluções de TI´s para a Administração Pública, a Solbi/ City Desk® mostrou ao longo de 2003 que reúne claramente todas as competências necessárias, tanto a nível de soluções de hardware como para projectos "chave na mão" incluindo os necessários serviços de instalação e de assistência técnica após venda durante os períodos de garantia acordados.
Lamentavelmente os negócios City Desk® com a Administração Pública poderiam ter sido melhores em 2003, se não existisse um problema incontornável que se chama "Central de Compras do Estado".
A Solbi concorreu em 2001 no último concurso publico para a homologação da sua marca City Desk na Central de Compras do Estado, ficou num honroso 6º lugar num universo de mais de 80 empresas, o relatório conclusivo e positivo foi publicado em Janeiro de 2002 e estamos neste momento em Dezembro de 2003 e a situação continua numa indefinição pois a formalização da homologação, através da publicação no Diário da República continua por acontecer.
A realidade é que a actual homologação de fornecedores de informática na Central de Compras do Estado já data de 1997, e vai entrar agora no 7º ano sem ter havido um novo concurso!

Todos sabemos quais as necessidades do nosso país em termos de inovação de projectos TI´s que estrategicamente têm de colocar Portugal a nível de igualdade com a Europa. Neste contexto poderíamos concluir que encaramos 2004 como um ano de grandes oportunidades no que concerne os projectos de investimento em TI´s que já foram lançados pela Administração Pública, como os que estão previstos para o curto e médio prazos.
No entanto temos um problema incontornável que se chama Central de Compras do Estado.
Parece-nos que os grandes investimentos em TI`s em Portugal para 2004 no que concerne computadores para a Administração Pública, vão continuar a ser um privilégio das empresas internacionais e continuarão vedados a empresas nacionais, independentemente da sua dimensão, valor acrescentado e contribuição na geração de riqueza para o país, como é o caso da Solbi/ City Desk.

Se a Política não tiver uma vez por todas a audácia em por um ponto final numa legislação que regulamenta a Central de Compras do Estado e que está obsoleta e totalmente desfasada da realidade, mas continuar a empurrar este problema para mais tarde, continuaremos com a inédita situação na qual só continuamos a proteger deliberadamente o que é estrangeiro.

Voltar ao texto principal
Perspectivas 2004 – Mais optimismo para o Ano Novo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.