Quando a DJI apresentou a nova versão da sua câmara de bolso Osmo Pocket a soma das características já deixava antever que este seria um dos gadgets mais interessantes para quem procura a melhor qualidade de vídeo sem perder na flexibilidade. Um sensor de 1 polegada CMOS com capacidade de 4K a 120 frames por segundo, um estabilizador mecânico de 3 eixos com possibilidade de seguir um elemento identificado, mais de 2 horas de bateria, menos de 180 gramas de peso e o ecrã OLED de 2 polegadas fazem a diferença em relação à geração anterior do Pocket 2, que já tinha conquistado a atenção do SAPO TEK.

Todas as (boas) impressões foram confirmadas na análise do DJI Osmo Pocket 3 que experimentámos em diferentes cenários, confirmando a qualidade mas também a flexibilidade de poder ter um assistente de vídeo de bolso, com o pacote completo de apoio ao registo de som e imagem e a estabilização. Com esta ajuda é fácil dispensar um elemento de apoio, e cabe tudo na palma da mão, ficando pronto para gravar em poucos segundos.

Há outros concorrentes no mercado, como a Hero 12 Black da GoPro, e a própria DJI tem também uma câmara mais compacta, mas o formato dos modelos Pocket continua a ser diferenciador, combinando a câmara e o estabilizador. O bastão é fácil de agarrar e suficientemente pequeno para não pesar na bagagem da viagem ou das atividades radicais, em vez de se ter de pensar em formas de segurar os cubos das action cam, ou adicionar a suportes.

Veja as imagens

Com o Osmo Pocket 3 há cada vez menos razões para tirar o smartphone do bolso para fotografar ou filmar, apesar dos modelos de topo de gama já terem ferramentas de estabilização de imagem e de focagem automática cada vez mais avançadas. E evita claramente a utilização de um gimbal adicional.

Desde o primeiro modelo, ainda em 2018, esta é uma solução que tem evoluído, e o Pocket 2, lançada em 2021, já era uma boa melhoria, dando provas até na cobertura de várias conferências e feiras de tecnologia. A nova versão Osmo Pocket 3 tem vários upgrades, em qualidade de imagem e estabilização, mas também no próprio ecrã de apoio, que duplicou de tamanho e de funcionalidade, tornando-se uma boa ajuda para conseguir pôr em prática os vários modos de vídeo.

O resultado mede-se em vídeos de maior qualidade e mais suaves, com menos tremeliques e capacidade de seguir um alvo, fazer transições rápidas entre visualização frontal e modo de comentário de primeira pessoa, ao género de vlogging, Mas com isto é também ligeiramente maior em tamanho, e peso, algumas gramas que não se sentem de forma significativa.

Veja alguns dos vídeos captados com o Osmo Pocket 3, em modo de edição "retro"

O ecrã OLED de 2 polegadas é a principal mudança no design e na funcionalidade. A DJI retirou o botão de função e zoom a que estávamos habituados no Pocket 2 e mudou tudo para o controle no ecrã sensível ao toque. Foi difícil mudar alguns hábitos, já estava “entranhado” o modo de dois toques ou três toques repetidos para ativar zoom ou rotação, mas foi uma questão de tempo, e de óculos, porque é preciso bons olhos para ver qual a funcionalidade que se está a escolher no display. Em alternativa pode usar a aplicação DJI Mimo, o que só é prático se tiver o Osmo Pocket 3 estabilizado e a ser usado com um tripé, ou na mão de outra pessoa.

DJI Osmo Pocket 3
créditos: SAPO TEK

Neste modelo a DJI abandonou também a ideia de "ligar" o Pocket ao telemóvel com o conetor USB que usou na Pocket 2 e agora a ligação é toda feita por Bluetooth. Mas não perde em imediatismo. O equipamento pode ser usado para fazer livestream com a aplicação DJI Mimo no telemóvel embora precise de um hotspot Wi-Fi. Se quiser só gravar e depois editar fica tudo guardado no cartão de memória e pode recorrer à app LightCut da DJI para trabalhar os vídeos.

De notar que a aplicação DJI Mimo não está disponível nas lojas de aplicações Android ou iOS devido aos bloqueios dos Estados Unidos à empresa, mas pode sempre instalá-la a partir do site da DJI,

Para quem quiser explorar os modos de "realização", Follow, Tilt Locked e FVP são os três modelos principais que trazem rotinas de acompanhamento das imagens, seguindo elementos, mantendo a linha de horizonte centrada ou deixando a câmara movimentar-se mais livremente para takes mais criativos, e mais arriscados.

Rodar o ecrã permite ligar a câmara e mudar também entre os modos vertical ou horizontal, consoante o objetivo do vídeo. Brincámos muito com esta possibilidade, sempre surpreendente (e impressionante para a assistência) em cada utilização.

Na imagem o active track 6.0 representa uma melhoria importante para quem quer filmar um elemento em movimento. Pode ser uma pessoa que se desloca, um animal ou um objeto que a ferramenta garante que está sempre bem focado e enquadrado na imagem. Para a qualidade contribui também muito a prioridade dada ao elemento mais próximo da câmara, desfocando o fundo, o que pode ser relevante numa transmissão em direto. A isto soma-se o som, que agora é stereo omnidirecional, e que melhora também com o transmissor sem fios Mic 2.

Veja um vídeo gravado com o Osmo Pocket 3 onde só usámos os microfones da câmara

Em termos de bateria, o Osmo Pocket 3 consegue cerca de duas horas de utilização e no caso das nossas experiências foram vários dias com várias pequenas gravações sem ter de recarregar. Para repôr os níveis de energia conta ainda com carregamento rápido, chegando aos 80% em apenas 16 minutos segundo os dados da DJI que não cronometrámos.

O pacote que nos foi enviado para teste foi o DJI Osmo Pocket 3 Creator Combo, com um estojo para guardar todos os acessórios. A capa de proteção, uma bateria, o cabo USB-C para carregamento, um suporte míni, um microfone Mic 2 e um protetor windscreen para o som, uma lente grande angular e o estojo fazem parte do pacote “extra” que justifica a diferença de preço em relação ao modo base.

DJI Osmo Pocket 3
créditos: SAPO TEK

Este é sem dúvida um dos gadgets mais interessantes que experimentámos nos últimos meses, especialmente para quem gosta de viajar ou fazer algumas atividades de exterior, mais ou menos radicais, e guardar imagens para mais tarde recordar. Funcionou sempre muito bem em eventos de interior, como jogos de pavilhão, e deu provas também em ambiente de reportagem e de lazer.

Uma última nota para o preço: O DJI Osmo Pocket 3 custa 549 euros no site da DJI e o pacote Creator Combo custa 689 euros, mas é uma adição de preço que vale a pena se quiser levar o "trabalho" com a câmara mais a sério.  

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.