A aposta da Lenovo no mercado dos tablet faz-se de várias opções e tamanhos. Pela redação do TeK passou nos últimos dias o Yoga Tablet 2 com ecrã de 10,1 polegadas, que está entre as 8 e as 13 polegadas que balizam a oferta atual da marca neste segmento.

O tamanho ideal de um tablet está diretamente relacionado com o uso que se pretende dar-lhe e com as características do próprio equipamento. Se tiver um grande ecrã mas não oferecer uma qualidade satisfatória para o consumo de conteúdos multimédia e não apostar em software que suporte tarefas mais ligadas a uma utilização profissional, de pouco vale essa caraterística.

No caso do Yoga Tablet 2 a intenção de garantir uma boa experiência de lazer, ao mesmo tempo que oferece condições para uma utilização em contexto profissional é assumida e bem conseguida.

As 10”1 polegadas do dispositivo “carregam” consigo as limitações habituais de um equipamento com um ecrã dessas dimensões, mas garantem algum conforto a quem procure um dispositivo deste tipo para uma utilização mais do que pontual, que se estenda a algumas horas diárias.

Ao mesmo tempo tem a vantagem de ser leve e pequeno o suficiente para arrumar em qualquer local. Neste caso específico falamos de 613 gramas, que aumentam até aos 733 com o teclado acoplado. Também vale a pena dizer que a espessura do equipamento não fica comprometida quando os dois elementos se ligam, já que o teclado só tem 5 milímetros. Se tem planos para usar o tablet como complemento da atividade profissional este é um acessório que provavelmente vai fazer falta e que já vem incluído no pacote.

Para um jornalista, em que a escrita é fundamental, um teclado físico é quase obrigatório, para quem der ao tablet uma utilização mais centrada na navegação online, consulta de correio e de outro tipo de informação que não recorra de forma intensiva ao teclado, vale a pena dizer que a resposta do Yoga Tablet 2 ao toque é muito boa e isso também se aplica à interação com o teclado virtual.

[caption][/caption]

Teclado é uma opção sem custos adicionais 

Mas se não dispensa o teclado físico, o acessório que a Lenovo criou para este modelo tem o tamanho adequado para garantir que só usa uma tecla de cada vez (o tamanho das teclas e o espaçamento é adequado). Liga-se ao tablet via Bluetooth e fisicamente através de uma dobradiça magnética.

Unir as duas partes é fácil e fazer o processo inverso também. Aliás é tão fácil que tablet e teclado podem atrair-se antes que tenha tempo de fazer coincidir os dois acessórios. Se precisar de fazer um ajuste tenha cuidado para não desligar o equipamento, que tem o botão on/of na zona lateral inferior do lado esquerdo, na zona onde provavelmente vai tocar para alinhar as duas partes.

No lado esquerdo do tablet, além do botão on/off, ainda vai encontrar o botão do volume e uma ligação miniUSB. Do lado oposto está uma entrada áudio e um pouco mais acima a ligação HDMI e o microfone. As colunas estão à frente (do lado esquerdo e lado direito).

Em termos de design, a Lenovo apostou em duas opções de cor para este modelo: preto e prata. Em Portugal só é possível comprar a versão em preto. Nos materiais dominam o plástico e o alumínio. Na traseira usa-se plástico rugoso, uma opção que dá aderência ao toque e que pode ajudar a prevenir quedas. No teclado, o plástico rugoso também foi opção para o trackpad e toda a tira que o acompanha.

Embora seja um verdadeiro peso pluma, na base o Yoga Tablet 2 aumenta a espessura para integrar uma espécie de barra cilíndrica que serve de pega. A mesma zona arruma o encaixa do teclado e um suporte em alumínio, que descola da traseira do tablet e vai abrindo até fazer uma ângulo de 90 graus.

Graças a esta tira de alumínio pode pôr o Yoga Tablet 2 na secretária como se fosse uma moldura escolhendo amplitudes diferentes, ou até usar um prego na parede para o pendurar, opções interessantes quando está a ver um filme ou outro conteúdo que não exige interação constante com o ecrã.

Por falar em filmes, vale a pena dizer que este modelo da Lenovo garante uma experiência multimédia muito interessante, não apenas pelo tamanho do ecrã já satisfatório mas também pelos atributos técnicos. Ao suporte para Full HD (1920x1200) do ecrã IPS, junta-se uma RAM de 2GB, que também tem as suas responsabilidades no desempenho do dispositivo quando estamos perante atividades mais exigentes para os recursos do equipamento.

O processador do Yoga é um Intel Atom de quatro núcleos a 1,33 GHz e o espaço para armazenamento interno de 32 GB. Pode fazê-lo crescer até aos 64 GB via cartão microSD, que a Lenovo integrou na traseira do tablet, atrás do suporte em alumínio. Quando este se abre lá está o compartimento com espaço para arrumar o cartão microSD e o cartão SIM, que acrescentará à contectividade Wi-Fi, suporte para redes 4G 

Autonomia à prova de serões 

Falta referir que o Yoga Tablet 2 tem uma autonomia à prova de serões – consegue usá-lo um dia inteiro, até naqueles dias que entram noite dentro. Isto claro, dependendo do tipo de utilização que fizer dos recursos, mas se for para ver emails, escrever alguns textos e navegar moderadamente na Internet não o vai deixar ficar mal.

No que se refere à captura de imagem, o modelo vem equipado com uma câmara frontal de 1,6 megapixéis e uma câmara traseira de 8 megapixéis, que também permite gravar em alta definição. As características das câmaras servem os propósitos normais deste tipo de funcionalidade num tablet, mas a localização da câmara traseira definitivamente não é a melhor. Dificulta a utilização do recurso pegando no tablet da forma mais intuitiva – pela base/pega - e também não facilita a captura de imagens com o equipamento estabilizado, porque está na base do tablet e com o suporte aberto fica a apontar ligeiramente para baixo.

O Yoga Tablet 2 é comercializado com versões para Android e Windows, embora a Portugal só tenha chegado a versão com Windows. O modelo que o TeK experimentou chegou às lojas portuguesas com Windows 8.1, mas já tinha sido atualizado para o Windows 10, uma evolução de interface que sem dúvida trouxe fluidez à interação por toque.

[caption][/caption]

No caso do Yoga 2 pode alterar a cada momento o tipo de experiência, dependendo de ter ou não o teclado integrado no equipamento mas também pode ir fazendo o mesmo no sistema operativo, para estar sempre a tirar o melhor partido do software. Basta carregar num botão na barra de notificações para ativar ou desativar o modo tablet.

Quem comprar o Yoga Tablet 2 na caixa vai encontrar uma licença para o Office 365 e um carregador, que se juntam ao tablet e ao teclado. Entre prós e contras, o modelo da fabricante chinesa apresenta-se como uma proposta interessante para quem quer combinar trabalho e lazer de forma competente e a preços mais acessíveis.

O design, embora robusto, pode não ser o mais apelativo do mercado, mas a simplicidade do conceito – que graças ao teclado integrado, mais do que um tablet é um dois em um - é compensada por outros atributos, como a autonomia, o suporte para Windows (mais relevante para quem vai privilegiar o uso profissional), o peso e a capacidade de entregar conteúdos exigentes com boa qualidade e de forma eficiente.  O Lenovo Yoga Tablet 2 custa 399€.  

 

 Cristina A. Ferreira

 

 

 

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.