Chegou ao mercado português há alguns dias a nova aposta da Optimus para o segmento jovem. Equipado com a versão 2.1 do sistema operativo Android, o Optimus Pequim pretende responder às necessidades de um público que gosta de passar tempo a escrever mensagens e manter-se actualizado em relação à actividade social dos seus contactos. O equipamento passou-nos pelas mãos e podemos dizer que a operadora foi bem sucedida na aposta fabricada pela chinesa Huawei.



O teclado Qwerty e o formato rectangular que dá ao Optimus Pequim um ar de consola/TV portátil de outros tempos é sem dúvida uma boa aposta para facilitar a escrita. As primeiras tentativas podem não ser lá muito bem sucedidas, sobretudo para quem tem os dedos largos, mas nada que alguma prática não resolva. Pelo menos os nossos dedos adaptaram-se sem grandes dificuldades.


No teclado vale também a pena destacar a tecla dedicada .com que, como o nome indica, permite escrever de uma só vez a extensão mais comum nos vários endereços web. É uma particularidade que não muda a vida do utilizador, mas que efectivamente dá jeito.



Entrando no ecrã de 2,6 polegadas, o Pequim dá acesso a um leque bastante diversificado de aplicações pré-carregadas no equipamentos que podem, obviamente, ser ainda completadas com a oferta do Android Market. Contudo, e para quem possa estar a iniciar-se na utilização de um smartphone é simpático ter acesso simplificado a um leque diverso de aplicações, à partida.



Para manusear toda a oferta use o ecrã táctil e apoie-se na trackball. O segundo é bastante sensível ao toque, o primeiro nem por isso, merecendo a nota menos positiva da nossa experiência. É certo que a opção da Optimus por um ecrã resistivo não prejudicou o nosso desempenho a jogar Angry Birds, mas obrigou a algum treino adicional (mesmo com calibragem feita).



Em termos de conteúdos próprios (extra-Android, da loja ou pré-carregados no sistema), a operadora facilita acesso ao seu portal de conteúdos e à oferta de Mobile TV, ambas com direito a botão dedicado no ecrã, tal como acontece para o serviço de pagamentos móveis MB Phone. O Pequim é também o primeiro dispositivo lançado pela marca com a aplicação Tag Mobile pré-instalada. O botão para o Facebook também lá está, claro, com a respectiva caixa para acompanhar as actualizações do serviço.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Assegurado pelo sistema operativo, está o acesso facilitado ao Gmail, ao serviço de mapas, ao muito útil serviço de recomendações de locais para comer, tomar um café, ir ao multibanco ou à bomba de gasolina (Locais) ou o YouTube, para referir as aplicações mais relevantes. Foi aliás através do YouTube que aproveitámos para testar a qualidade do ecrã na exibição de vídeos. Para um equipamento que chega ao mercado com um preço de 119,90 euros (na loja online) - não é um low cost mas fica longe dos preços praticados nos smartphones dirigidos a outros segmentos - a experiência é muito positiva.



Continuando a falar de imagem passamos à câmara, que também cumpre as expectativas para uma configuração de 3.2 megapixéis com flash LED. O vídeo é outra alternativa para a recolha de imagens. Funciona bem na imagem, mas não tenha grandes expectativas em relação ao som.



O suporte para 3,5 G, Wi-Fi e GPS, a par com o Bluetooth, completam o leque de opções disponíveis no que se refere à conectividade no Pequim. Se bem que a lógica do telefone é a de estar sempre ligado à Internet e a Optimus até oferece cinco semanas de acesso à rede na compra do equipamento, vale a pena saber que desligar as comunicações de dados em caso de contenção de custos é processo fácil e bem assinalado no Android que suporta o Pequim. Pode fazê-lo por tarefas ou usar um único botão - nas definições da rede móvel - para desactivar a ligação de todos os dados.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Nas configurações necessárias para tirar partido das aplicações que estão pré-carregadas com o telefone não tivemos problemas de maior. Na configuração de contas de email, por exemplo, só não conseguimos configurar a conta do Yahoo (sim, pode não ser muito moderno mas o serviço continua a funcionar, ok!), por falta de suporte. Hotmail foi tarefa fácil e quanto ao Gmail nem vale a pena fazer comentários: obviamente também não representou problemas. Há mais opções, mas estas foram as que experimentámos.



Para sincronizar com o Microsoft Exchange, o equipamento traz uma aplicação que ajuda (RoadSync). Do mesmo fabricante (DataVIz), está também disponível uma aplicação que permite visualizar documentos de texto, folhas de cálculo, PowerPoint ou PDF. Tal como acontece com outros serviços disponibilizados, para usar este Documents To Go é essencial (noutros serviços é recomendável) usar um cartão de memória, algo que falta no pack de comercialização do produto.



No caixa e para além do telefone, só vai encontrar o cabo para ligar o dispositivo ao PC, o carregador e um auricular estéreo.



Como já referimos o Optimus Pequim é vendido associado ao tarifário Tag, um plano tarifário com comunicações ilimitadas na rede, em troca de consumos mínimos de saldo. A oferta de acesso à Internet dura cinco semanas e prevê um limite de tráfego de 75 MB em cada uma delas. No anúncio de TV do produto diz-se que também é ideal para fazer amigos, isso não conseguimos confirmar.

Cristina A. Ferreira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.