Os novos modelos da família Lumia são por si só alvo de curiosidade e motivo de análise por esticarem as funcionalidades topo de gama dos modelos da Nokia/Microsoft (no caso do 930) e por apresentarem a primeira proposta com dois cartões SIM (no caso do 630) e um preço bastante atraente para um mercado de gama média/baixa mas com características técnicas bastante aceitáveis.

Não fossem estas razões suficientes, os smartphones representaram o primeiro lançamento em Portugal depois da integração oficial da Nokia na Microsoft, mas mesmo assim acabaram por ser ofuscados pela estreia do sistema operativo Windows Phone 8.1 e as suas múltiplas novidades em termos de usabilidade e desempenho.

Com mercados alvo bastante diferentes, o Lumia 930 e o 630 foram companhia constante na redação do TeK nas últimas semanas, o que permitiu explorar os pontos fortes e fracos dos dois equipamentos, mas também do próprio sistema operativo, que nem sempre oferece o melhor nível de desempenho que era esperado.

Siga para as próximas páginas para verificar as impressões que os dois novos modelos deixaram na equipa do TeK, e também as novidades do Windows Phone 8.1.

Próxima página: Lumia 930 : a estrela mais consistente da constelação Lumia

Lumia 930 : a estrela mais consistente da constelação Lumia

O Lumia 930 foi desenhado para concorrer com os pesos pesados do mercado - leia-se iPhone 5s e Samsung Galaxy S5 - e tem todos os argumentos para o fazer em termos de hardware, embora se revele demasiado "pesado" e menos elegante do que os rivais diretos.

O corpo em alumínio é resistente e acompanhado por cores brilhantes em verde e laranja para quem gosta, ou em tons mais sóbrios de branco e preto. Mas é o ecrã de 5 polegadas em Gorila Glass e full HD que atrai mais atenção, com o design arredondado e a moldura elegante a facilitarem a utilização, tal como acontecia já em modelos anteriores da mesma família.

Equipado com um processador quad-core Snapdragon S800 de 2,2GHz e 2 GB de RAM o smartphone responde bem a qualquer exigência mais pesada a nível de multimédia, e também ao recurso a grandes listas de contactos e à gestão de grupos com interligação a redes sociais como o Facebook e o LinkedIn, onde outros modelos se "engasgam".

As boas impressões estendem-se à componente de fotografia, com a câmara de 20 Mpxls Pureview e óptica ZEISS a mostrar as suas qualidades, sobretudo em fotografia em ambientes mais luminosos e paisagens.

A ajuda preciosa das muitas funcionalidades que a Nokia tem vindo a adicionar às suas aplicações torna-se relevante para quem quer explorar mais a componente fotográfica, com o Cinemagraph, Panorama e o Storyteller a garantirem muitos momentos bem passados e a melhoria das imagens captadas. Até pode ser confundido com um fotógrafo quase profissional...

Mas não pense que o 930 é só lazer e diversão. Todas as ferramentas necessárias para manter as suas qualidades de "profissional móvel" estão integradas no smartphone, desde o Office Hub ao OneNote. E o People Hub continua a ser a melhor forma de organizar contactos de grupos de trabalho, agregando emails, posts nas redes sociais e envio de informação de forma rápida para todos os elementos, uma funcionalidade que também pode ser explorada em prol da família e amigos.

Uma nota ainda para o suporte a redes 4G que começa a tornar-se normal mas que em muitos casos faz uma (excelente) diferença na velocidade de acesso a funcionalidades multimédia e ao upload de conteúdos, sobretudo das otografias se quiser manter a melhor qualidade....

O ponto mais negativo (e quase único motivo de menos agrado) é a bateria. Apesar das especificações que apontam para uma duração em conversação superior a 11 horas e playback de vídeo de 7,5 horas, suportados pela bateria de 2420mAh, foi dificil esticar a duração para acompanhar o "andamento" de um dia de trabalho e algumas horas de lazer antes de chegar à proximidade de uma tomada elétrica, o que não se torna nada simpático mas também não é fora de comum entre a concorrência mais direta.

É mesmo preciso que se continue a pensar em alternativas, com ou sem fruta, para que melhorar a duração das baterias.

De qualquer forma quem paga a fatura de quase 600 euros para comprar o smartphone acaba por ter mais contemplação para incluir carregadores adicionais no orçamento, e a Nokia até tem soluções simpáticas de carregamento sem fios...

Próxima página: Lumia 630: mais valor para um duplo SIM

Lumia 630: mais valor para um duplo SIM

Só quem não tem de pagar as contas do telemóvel do seu próprio bolso é que não dá valor ao poder de poupança de um smartphone com suporte para dois SIM. Este era um mercado no qual a Nokia ainda não tinha entrado e que estava a ser muito bem explorada por marcas como a Alcatel e a Wiko, mas também por concorrentes de peso como a Samsung.

Ao colocar o Lumia 630 nas lojas a um preço abaixo dos 190 euros, no mercado livre, a Nokia garante pelo menos uma posição na lista de escolhas que até agora estava limitada ao sistema operativo Android.

O novo Lumia merece bem mais do que ser uma segunda opção para quem procura um bom smartphone de gama média, e o suporte para ter dois cartões. É fino e leve comparado com outros equipamentos do mesmo perfil, e a capa de policarbonato torna o manuseamento simpático, sem perder a elegância, apelando aos jovens que gostam de modelos coloridos.

Com um processador Snapdragon S400 quad-core a 1,2 GHz e ecrã ClearBlack de 4,5 polegadas, o Nokia 630 não pode ser comparado diretamente com o topo de gama Lumia 930 mas não deixa ficar mal a Nokia, nem quem quiser investir neste modelo.

O desempenho é suficiente para qualquer tarefa normal - chamadas, acesso à Internet e redes sociais, email e mesmo a conteúdos multimédia, mesmo que na lista de especificações os 512MB RAM pareçam demasiado curtos.

E mesmo a componente de fotografia não desilude e os 5 Mpxls são um pouco compensados pelas ferramentas de edição disponibilizadas.

Quem está habituado a outros smartphones Lumia vai achar diferença sobretudo pela falta de botões físicos de acesso ao ecrã do Windows, pesquisa e voltar atrás. O Lumia 630 é o primeiro a dispensá-los e depois de se ganhar algum hábito a experiência não é má, até porque são integrados no ecrã.

É sobretudo na bateria que o Lumia 630 acaba por se revelar uma agradável surpresa: as especificações de ecrã (mais limitadas) e uma utilização menos intensiva das capacidades multimédia permitiram que uma única carga durasse mais tempo.

Mas a "culpa" pode ter sido também de quem testa, que foi menos atraído a esticar os vídeos e as ferramentas da câmara que não eram tão atraentes como as do Lumia 930.

Próxima página: Windows 8.1: notificações criativas num ecrã ainda mais "vivo"

Windows 8.1: notificações criativas num ecrã ainda mais "vivo"

a exploração das capacidades do "novo" Windows Phone foi um dos principais pretextops para o teste do Lumia 930 e do Lumia 630, ainda antes da atualização chegar a outros equipamentos que já estão no mercado.

As novidades já tinham sido destacadas por várias vezes no TeK, sobretudo o novo centro de notificação que muita falta fazia a quem queria gerir as configurações das redes Wi-Fi e centralizar os avisos de mensagens dos vários serviços de email e redes sociais.

Mas é pela experiência que estas são validadas, nos pontos positivos e negativos. E no somatório há mais a elogiar do que a criticar.

A experiência de utilização do sistema operativo foi globalmente melhorada, e em ecrãs grandes a adição de mais uma coluna de ícones torna-se uma boa adição, mesmo que muitos utilizadores achem demasiado confusa.

Neste caso podem tornar mais ícones principais em quadrados grandes e pô-los a rodar com as notificações dos Live Tiles, um estilo que tem ganho fãs entre os utilizadores do Windows. Ou recorrer a um novo modelo de costumização que permite que uma única imagem seja reproduzida pelos vários blocos, o que não funciona bem com todas as fotos.

O teclado Word Flow é bem vindo para quem já conhecia o modelo no Android e o calendário foi melhorado para conseguir uma compatibilização mas eficiente entre as tarefas pessoais e profissionais, com vistas diárias e mensais mais intuitivas.

Para quem usa o Outlook no trabalho a integração do Outlook Mobile é uma adição importante, mas esta foi uma funcionalidade que não chegámos a testar.

Importante também, mas ainda longe dos utilizadores portugueses está também o assistente pessoal Cortana cujas funcionalidades também queríamos experimentar. Em bom português.

Quer com o Lumia 930 quer com o 630, a experiência com a nova versão do Windows 8.1 foi de bom nível, sentindo-se as melhorias em relação à versão anterior, mas o mesmo já não acontece com os modelos Lumia mais antigos.

Em alguns casos depois da atualização e das configurações algumas ferramentas passaram a "engasgar-se" mais, sobretudo as listas de contactos mais extensas e com ligações intensivas às redes sociais. Algo que esperamos que a Nokia resolva (rapidamente) em próximas atualizações...

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.