A multinacional de tecnologia e consultoria Glintt organizou nos dias 11 e 12 de outubro a primeira edição do Hacking Health, em Lisboa. O encontrou desafiou os participantes a pôr a sua criatividade à prova ao criarem novas soluções tecnológicas aplicadas à saúde, num evento onde o projeto medGPS, baseado na tecnologia Outsystems, foi o grande vencedor desta primeira edição do “Hacking Health”, recebendo um galardão de três mil euros.

O programa consiste numa aplicação móvel que pretende facilitar a forma como o utente obtém a informação da disponibilidade de um determinado produto ou medicamento. Desta forma, facilita-se o acesso a produtos de saúde, ao mesmo tempo que pretende aumentar a eficiência de todo o processo. Em comunicado, Tiago Santos, elemento da equipa vencedora, fala na "criação de uma aplicação móvel que facilita a forma como um utente obtém a informação da disponibilidade de um dado produto ou medicamento". Margarida Castilho, Carolina Salgueiro e Nelson Pinto são os restantes membros da equipa.

Há um atlas da saúde digital que quer melhorar a coordenação global de projetos
Há um atlas da saúde digital que quer melhorar a coordenação global de projetos
Ver artigo

Para além do primeiro prémio foram atribuídas duas menções honrosas, uma delas ao projeto Pharma.QUEST, um assistente virtual facilitador de acesso aos cuidados de saúde, no qual a partir da informação da Receita sem Papel o Bot identifica os produtos e as farmácias mais perto que poderão aviar o pedido, baseado em tecnologia Oracle. Luís Correia, Tiago Jordão, Diogo Silva e António Rodrigues foram os participantes do projeto.

A segunda menção honrosa foi para o projeto EVA, um chatbot também baseado em tecnologia Oracle dedicado a aumentar a eficiência nos cuidados de saúde e melhorar a experiência, quer para os profissionais de saúde quer para os pacientes. Através do chatbot é possível resolver um problema técnico sem requerer ajuda externa humana, evitando assim tempo desperdiçado. O projeto é da autoria de Eduarda Vaz, Francisco Serralheiro e Gonçalo Chambel, alunos do Instituto Superior Técnico.

Ao todo foram 92 os inscritos que durante 18 horas procuraram encontrar soluções inovadoras, através das tecnologias da Microsoft, Oracle e Outsystems. O encontro contou com o apoio da Taikai, plataforma através da qual as equipas puderam inscrever-se no desafio, apresentar os seus projetos e, através da tecnologia blockchain, ver as suas soluções serem votadas pelo júri com a moeda virtual “KAI”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.