Já nos habituámos a ver as câmaras dos smartphones melhorarem de ano para ano, com especial atenção dada ao desempenho na captação de fotografias. Neste campo, são várias as tecnologias que cada marca desenvolve para dispensarmos os tripés e outros sistemas de estabilização.

Contudo, na área da captação de vídeo, embora os smartphones apresentem uma evolução constante em termos de qualidade, continua a ser essencial a utilização de um acessório que mantenha o terminal estabilizado e faça com que os vídeos “saiam” livres de oscilações e com nitidez máxima.

Neste sentido, e numa ótica tanto do entusiasta dos vídeos de férias como do profissional que complementa as suas filmagens com a câmara com alguns planos feitos com o smartphone, hoje são os gimbals para smartphone o acessório mais eficaz para conseguirmos vídeos de qualidade acima da média.

E admitimos que este é um gadget que dá gosto usar, além das grandes vantagens que traz ao nível da estabilização. Mas que pontos devemos considerar antes de nos decidirmos à compra? Antes de mais, se é um habitual criador de vídeos com um smartphone topo de gama e quer subir para um patamar de qualidade superior, um gimbal como os da galeria acima é um item indispensável no seu lote de equipamento. Disso não temos dúvidas.

Depois, no momento de escolher, dê atenção à questão da compatibilidade. Primeiro, em relação ao smartphone que tem, considerando o sistema operativo móvel instalado e também a dimensão do ecrã e do próprio terminal. O mesmo tem de caber fisicamente no suporte do gimbal e conseguir estabelecer uma relação perfeita com as apps móveis que gerem o funcionamento do acessório.

Por falar nisso, fique a saber que ao nível do software também há diferenças. E aí destacamos o primeiro modelo da galeria neste artigo, o DJI Osmo Mobile 2, que recorre à app móvel DJI GO, a mesma que utilizamos para pilotar e controlar qualquer drone da marca. E as vantagens aqui estão, essencialmente, nos vários modos de captação de vídeo que podemos usar com o gimbal, entre os quais estão o famoso modo Active Track da marca, bem com as funcionalidades de time-lapse, outra das utilizações incríveis que um gimbal pode ter.

Uma questão de energia

Por outro lado, lembre-se que um gimbal é um acessório portátil e destinado a um uso com o smartphone, logo temos de estar sempre preocupados com os níveis de energia da bateria integrado, tal como acontece com o terminal móvel. Confira sempre se os níveis de autonomia estão a 100% antes de sair de casa e não se esqueça de levar o powerbank, e quanto maior a capacidade do mesmo, melhor.

É importante que o gimbal seja capaz de recarregar o seu smartphone à medida que está a filmar, da mesma forma que deverá “aceitar” a recarga de bateria via powerbank. O pior que nos pode acontecer é ficar sem energia no gimbal quando o smartphone ainda tem bateria para “dar e vender”.

Por fim, dois conselhos extra. Sabemos que, por vezes, o que mais importa é a robustez e qualidade de construção, mas, nestes casos, atente nas dimensões e peso. Isto porque vamos estar a filmar com o gimbal na mão bastante tempo e acredite que a leveza é um fator a ter em conta. Da mesma forma que nos interessa que ocupe pouco espaço na mala de viagem.

Além disso, a estabilização: se tiver orçamento disponível, aponte aos gimbal com estabilização com base em três eixos, sob o mesmo raciocínio que serve de base à captação de vídeo com drones. O DJI Spark, por exemplo, tem uma gimbal com estabilização de dois eixos, a dois níveis, enquanto os modelos mais avançados, como o Mavic Pro, por exemplo, já apresenta estabilização de três eixos.

Agora, com a ajuda destas dicas (não muito técnicas) e das informações referentes aos vários modelos que compõem a galeria acima, faça a sua escolha. Bons vídeos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.