Pode não parecer, mas o Verão está a chegar. Não é que a oferta de concertos seja fraca durante o resto do ano, mas há coisas em que a tradição ainda é o que era, e o calor pede festa. Quem diz festa, diz música, pouca roupa (cuidado com as TVs no local) e… refrescos?

Com mais ou menos praia, muito ou pouco pó (será?), uma legião de "freaks" ou gente mais "indie"… os festivais estão aí! Muito antes das instalações no local estarem preparadas a receber os intrépidos visitantes, já os estaminés online estão prontos a fornecer tudo quanto é detalhe sórdido sobre o que os espera - e pode ajudar a sobreviver àqueles 3 a 5 dias de provação festivaleira (pobrezinhos!).

Assim, e à semelhança do que fizemos o ano passado, o TeK mostra-lhe as montras online dos eventos que prometem animar a estação (f)estival.

Por ordem cronológica para não ferir susceptibilidades (que com isto da música não se brinca), começamos pelo Rock in Rio. Nascido e criado no Rio de Janeiro (Brasil), atravessou o Atlântico e assentou arraiais em Chelas, no Parque da Bela Vista, onde já vai na 4ª edição. E passou a chamar-se Rock in Rio Lisboa.

[caption]Rock in Rio[/caption]

Os portugueses gostaram dele (mesmo aqueles que não ligavam a festivais) e continuam a dizer "Eu Vou!". Este ano, quem for, tem cinco dias de concertos à escolha, com propostas que vão de Miley Cyrus a Megadeth, passando por Mariza, Muse ou Shakira. Os espectáculos distribuem-se pelos dias 21, 22, 27 29 e 30 de Maio e cada entrada (diária) custa 58 euros.

O próximo na agenda é o Optimus Alive, que acontece entre 8 e 10 de Julho, no Passeio Marítimo de Algés. O festival patrocinado pela Optimus, que já passou pelo Meco (chamava-se Hype e estava mais virado para a electrónica), parece ter encontrado a receita para o sucesso em Oeiras, onde conta com três palcos e até campismo.

[caption]Optimus Alive[/caption]

Este ano, o destaque passa por nomes como Pearl Jam e Faith No More, sem esquecer novas apostas como os The xx ou Florence and The Machine. As últimas confirmações acrescentam à lista Devendra Banhart e The Maccabees.

As entradas para uma noite de concertos custam 50 euros. Quem não quiser perder nada, pode optar pelo passe de 3 dias, que custa 90 euros e já inclui o campismo - se quer montar a tenda mas não está interessado em todos os dias do festival, há a opção de pagar apenas (!) mais 15 euros pelo uso do parque.

[caption]Sumol Summer Fest[/caption]

Em Junho ainda há o Sumol Summer Fest. Provavelmente menos conhecido que os anteriores mas uma passagem obrigatória para os amantes do reggae, da praia e do surf. Pelo menos é o que diz a Música no Coração, que produz o festival.

A festa faz-se junto à praia de Ribeira de Ilhas, na Ericeira, ao som de Gentleman & The Evolution, Groundation, Marcelo D2 e Matisyahu, dura dois dias (25 e 26 de Junho) e sai barata: 40 euros. O campismo faz parte do pacote (e do espírito da coisa), mas podem sempre optar pelo bilhete só para um dia, que custa 30 euros e não inclui lugar para a tenda.

Julho traz o Delta Tejo, que "aposta em artistas originários de países produtores de café" e pretende funcionar também como "uma forma de promover a diversidade cultural, a inclusão, a multiculturalidade", explica Rui Miguel Nabeiro, da organização.

[caption]Delta Tejo[/caption]

Entre os dias 2 e 4, o cheiro a café invade o Alto da Ajuda (junto ao pólo da Universidade Técnica da Lisboa) e mistura-se com a música de Nneka, Shaggy e dos Buraka Som Sistema. O bilhete diário são 25 euros e o passe de três dias custa 40 euros.

[caption]Super Bock Super Rock[/caption]

O já velhinho Super Bock Super Rock também está, à semelhança daquilo a que nos vem habituando, marcado para Julho (dias 16, 17, 18), mas este ano volta a reinventar-se e muda-se para o Meco.

Agora com praia como cenário de fundo, os três dias de festival trazem a Portugal os The National, Hot Chip, Vampire Weekend, Empire of The Sun, Cut Copy, Sharon Jones mas também os veteranos Pet Shop Boys e os pratos de Laurent Garnier. O festival muda de sítio mas o preço dos bilhetes mantém-se: 40 euros para o bilhete diário e 70 para o de três dias, que inclui campismo.

No final de Julho chega o Paredes de Coura. Aqui a praia é fluvial, a do rio Tabuão, e tudo acontece entre 28 e 31 de Julho. O site do festival, que todos os anos arrasta uma legião de peregrinos ao norte do país, ainda não disponibiliza muitos detalhes a respeito do cartaz, estando para já confirmados os The Dandy Warhols, The Specials, Klaxons, Gallows, Enter Shikari, White Lies e We Have Band. Os bilhetes custam 40 ou 72 euros (com direito a campismo).

[caption]Paredes de Coura[/caption]

A encerrar a época alta não podia faltar o Sudoeste. Agosto é tempo de rumar ao sul, mais propriamente à Zambujeira do Mar (Alentejo), onde as praias deixam de ter lugar para as toalhas, os chuveiros do campismo não são suficientes para tirar todo o pó que se nos cola à pele e um mergulho no canal pode incluir sanguessugas. Mas mesmo isso não nos impede de voltar a tentar, sempre com uma esperança renovada de que desta vez a relva do recinto sobreviva aos cinco dias de festival.

[caption]Sudoeste TMN[/caption]

As portas abrem dia 4 e fecham a 8. Pelo meio, o Sudoeste TMN promete MIA, The Flaming Lips, Jamiroquai, Mika, Massive Attack, Mike Patton (dos Faith No More) e David Guetta. Um dia de concerto custa 40 euros, o passe para a semana são 80, com direito a campismo (quem quiser também lugar para o carro paga 90).

Hoje demos-lhe o roteiro dos mais populares, daqueles que já entraram no coração e na carteira dos portugueses. Mas fica desde já prometida uma apresentação do lado B dos festivais de Verão, a conferir numa próxima oportunidade.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.