Ver televisão vai dar cada vez mais prazer às pessoas. É certo que os televisores apresentados na edição de 2015 da Consumer Electronic Show são demasiado caros para a maioria dos consumidores. Mas é a partir dos modelos topo de gama que se definem novas tendências, algo que os televisores mais baratos também acabam por sentir.



E na CES não há espaço para meias tecnologias. As empresas entram com toda a força e mostram a tecnologia de ponta que têm desenvolvido nos últimos anos e que está finalmente pronta para conquistar o mercado.



Samsung, LG, Sony, Panasonic, Sharp e TP Vision estão entre as empresas que até ao momento apresentaram alguns dos televisores mais badalados da feira de tecnologia de consumo. Existem algumas tendências que são transversais ao sector e nas quais todas as empresas quiserem apostar.



O Ultra HD continua a ser a principal tendência – ainda que já existam exemplos de TVs que tentam o 8K -, mas as tecnologias usadas ao nível da imagem foram refinadas para produzir resultados mais detalhados, mas acima de tudo, imagens com cores mais vibrantes. Aos LCD, LED e OLED junta-se agora a designação de pontos quânticos.



A elegância dos televisores também está no topo das preocupações dos fabricantes e além de apresentarem TVs muito “magras”, também existe uma clara aposta nas transparências para criar a sensação de que os equipamentos estão a flutuar.



A inteligência dos equipamentos também é cada vez maior, mas aqui há uma mudança de paradigma: em vez de louvarem o acesso à Internet, as empresas estão a virar esforços para os conteúdos. Para ir à Internet há o telemóvel, há o tablet e o portátil. Mas para ver vídeos com a melhor das qualidades só mesmo no televisor lá de casa.



Parcerias entre tecnológicas e produtores de conteúdos estão a ser o "prato forte" porque as marcas sabem de uma coisa: sem conteúdos a condizer os televisores Ultra HD dificilmente vão sair das prateleiras.



Por fim destaque para a segmentação ao nível dos sistemas operativos. Até aqui as tecnológicas tinham apostado sobretudo em plataformas próprias e pouco evoluídas. Agora o Android TV, o Firefox OS, o Web OS e até o Tizen OS dominam as atenções. A usabilidade foi de longe o aspeto que mais evoluiu, mas tanta partição de sistemas operativos vai acabar por separar os esforços de produzir um ecossistema de televisores inteligentes.



Algures entre os seguintes modelos estão possivelmente alguns dos melhores televisores de 2015:

Muitos dos preços dos televisores anunciados não foram ainda revelados, preferindo as empresas esperar pelo momento em que os equipamentos vão chegar ao mercado. Mas certamente que muitas etiquetas vão ter números proibitivos para a maioria dos consumidores.

Isso não significa no entanto que as apresentações da CES 2015 não tragam boas notícias. À medida que estes novos modelos vão chegando ao mercado, os que já existem vão baixando de preço. Sabendo que atualmente existem bons televisores, com resolução Ultra HD e gamas de cores muito aceitáveis, então na segunda metade do ano será possível fazer bons negócios.

Esteja atento.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.