A conjugação entre as férias, as boas condições meteorológicas de agosto e a possibilidade de sair das grandes cidades, onde a iluminação esconde a beleza de fenómenos astronómicos, permite que normalmente este seja um mês de boas observações do céu.

O Observatório Astronómico de Lisboa já publicou toda a informação que é necessária para preparar as condições ideais e marcar na agenda os horários em que vale a pena pôr o nariz para cima.

O primeiro é mesmo o eclipse parcial da Lua, a 7 de agosto, que vai durar algumas horas e que é observável a olho nu. Mas há mais. Os "enxames de meteoros" das Perseidas e Aquáridas prometem sempre encher o céu de luz e as estrelas cadentes são sempre um fenómeno que vale a pena observar.

Em Portugal o pico da chuva de Perseidas acontece na madrugada de dia 13 mas vale a pena observá-las até dia 24 de agosto, sobretudo nas noites mais próximas da Lua Nova.

A chuva de meteoros das Aquáridas é visível até dia 23 de agosto e o OAL lembra que a melhor altura é após a meia noite.

Há ainda como referência o eclipse parcial do Sol, a 21 de agosto, mas que é pouco visível em Portugal. Mais sorte têm outras regiões, e nos Estados Unidos os interessados em astronomia estão já a preparar a observação de um eclipse total do Sol.

Nota da Redação: Foi feita uma correção

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.