O site Paintchainer é provavelmente a prova de que pintar, seja um desenho elaborado, ou um simples esboço pode ser extremamente simples e rápido. À primeira vista, o site parece ser um típico editor de imagens, onde os utilizadores submetem um desenho e acedem a um conjunto de ferramentas para pintar ou retocar a imagem. Mas neste caso, as opções são muito limitadas. A razão é simples: o processo é totalmente automatizado.

O sistema utiliza a computação em cloud Azure da Microsoft e o Chainer, uma infraestrutura de redes neurais para completar a coloração dos desenhos. Na prática, depois de submeter o desenho (ou fotos para efeitos estranhos), bastará riscar uma área com uma cor, que o sistema automaticamente preenche o resto da imagem com tons homogéneos que façam sentido. O utilizador basicamente influencia o algoritmo com as pinceladas, mas o trabalho bruto e imediato é da tecnologia.

A ferramenta é um bom complemento para artistas que queiram rapidamente fazer um estudo de cor para as suas imagens, como os tons dos cabelos, de pele ou das roupas de personagens, por exemplo. Mas pode ser utilizada para adicionar contornos vincados às imagens, aparando o lixo do fundo. Imagine que num ato de inspiração desenhou um boneco num caderno de linhas ou num guardanapo de papel: ao tratar a imagem no Paintchainer pode facilmente remover o que não deseja na figura.

O site é de origem japonesa, estando sobretudo otimizado para artes orientais, tais como personagens de manga, por exemplo. Desta forma, a ferramenta oferece três filtros com estilos distintos predefinidos, que servem como base de partida para os trabalhos.

Quando ficar satisfeito com o trabalho pode partilhar nas redes sociais ou fazer o download da imagem para o computador.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.