O eclipse da próxima segunda-feira está a ser preparado com todo o pormenor pela Agência Espacial Norte-Americana. Nos Estados Unidos o eclipse solar vai ser total, algo que não acontecia há 99 anos, ou seja desde 1918.

A NASA diz ter para mostrar “pontos de vista únicos a partir do solo e de aeronaves e outros, incluindo a Estação Espacial Internacional”, durante os cerca de dois minutos que irá durar o fenómeno. Também há balões a alta altitude, satélites e telescópios especiais ao serviço da recolha de imagens.

NASA vai perseguir o eclipse solar total a bordo de dois aviões
NASA vai perseguir o eclipse solar total a bordo de dois aviões
Ver artigo

A transmissão em direto pode ser vista via app da NASA para iOS ou Android ou através do Facebook Live, do Twitter ou do YouTube, entre outras formas. Os live video streams vão estar disponíveis a partir desta página.

O eclipse solar nos Estados Unidos vai causar uma faixa de escuridão total por 113 km, percorrendo 14 estados norte-americanos, desde Oregon à Carolina do Sul.

Em Portugal o fenómeno será apenas parcial, uma vez que o território ficará na penumbra da Lua. “Na maioria do território nacional, o eclipse parcial será pouco percetível pois começa quando o Sol já se encontra próximo do ocaso, altura em que as imagens dos astros apresentam más condições de observação”, refere o Observatório Astronómico de Lisboa.

Em algumas localidades, o ocaso dá-se antes do eclipse atingir o máximo de magnitude, enquanto noutras ainda será possível ver o instante do máximo, mas apenas nos Açores o eclipse parcial vai ser visível desde o seu início até ao fim, apesar de também aí o sol estar já baixo no horizonte, explica a mesma entidade.

Em Portugal Continental o pico do fenómeno acontece às 20h23, com a cobertura da superfície solar a atingir os 19%.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.