O PimEyes é um motor de pesquisa desenhado para reconhecer rostos e percorrer a internet para fazer a comparação com imagens que estão guardadas em sites. Na base está também tecnologia de machine learning e os criadores do serviço decidiram colocar este conhecimento ao serviço da proteção da imagem dos utilizadores.

Primeiro é preciso fazer o upload da fotografia. O sistema faz o reconhecimento do rosto e em poucos segundos apresenta uma série de resultados de outras fotografias em vários sites. O primeiro passo é feito de forma gratuita mas para ter acesso a mais informação já terá de ser um utilizador premium, com serviço pago.

Os criadores dizem que o PimEyes é mais do que uma pesquisa inversa de imagens que pode encontrar em qualquer motor de busca, porque identifica um rosto em particular e não a fotografia em si.

E para que pode ser usada a tecnologia? No site indicam-se várias formas de tirar partido dos resultados da pesquisa, protegendo a privacidade, identificando usos não autorizados de imagens e até pedindo a sua remoção das pesquisas.

Casos de roubo de identidade ou revenge porno podem ser razões para a utilização deste tipo de serviços, mas o PimEyes coloca-se até como um sistema preventivo, onde pode definir alertas para o caso da sua imagem estar a ser usada sem o seu conhecimento.

Numa altura em que se multiplicam as preocupações de privacidade com as práticas de algumas bases de dados que têm recolhido milhões de imagens para treinar os motores de reconhecimento facial, como acontece com a  Clearview AI, há também que considerar se a utilização do PimEyes não está a "alimentar o monstro".

No site indica-se que as imagens que são enviadas para fazer a pesquisa são guardadas temporariamente durante 48 horas e que a pesquisa é segura e protegida, mas é uma questão a considerar antes de  fazer o upload de uma fotografia.

Pimeyes

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.