Há sempre um ou outro utilizador mais entusiasta que faz questão de ter um smartphone do género, mas, regra-geral, este tipo de terminal móvel destina-se a profissionais de sectores de atividade mais exigentes e que colocam o utilizador em ambientes bastante adversos ou situações técnicas intensas.

Estamos a falar, por exemplo, de processos de trabalho dentro de uma câmara frigorifica, perto de fontes de calor, em obras e estaleiros de construção civil, em minas e escavações, em complexos industriais, em campos agrícolas...

Todos estes ambientes obrigam a que os profissionais que os frequentam não possam esperar que pare de chover ou que evitem o risco de deixar cair o smartphone no meio de substâncias prejudiciais ao funcionamento de um dispositivo eletrónico comum.

Por essa e outras razões, existem smartphones robustos, chamemos-lhe assim. Estes são os que mais se mostram preparados para suportarem quedas do cimo de um andaime, mergulhos indesejados, temperaturas demasiado elevadas ou baixas… E isto do ponto de vista do design e construção.

Além de serem selados para não deixarem entrar água, outros líquidos e pó, por exemplo, foram criados para aguentarem embates, quedas, impactos, aperto e pressão. Normalmente, é a certificação MIL SPEG 810G que faz com que estes terminais sejam resistentes a praticamente tudo, até mesmo quedas de perto de dois metros de altura para dentro de cimento, como é exemplo num dos modelos da galeria abaixo.

Mais: a certificação IP68 é quase “obrigatória” nestes terminais, pelo menos, que se destacam ainda por muitas outras características próprias do segmento e que são enumeradas entre os terminais que compõem este artigo.

E há outros dois pontos em particular que merecem destaque prévio. Um deles é constituído pelas tecnologias de imagem presentes, nem sempre as mais recentes do mercado de smartphones, é certo, mas tão versáteis quando a presença de uma câmara térmica consegue ser, servindo para detetar fugas de calor e/ou pressão, por exemplo.

Por outro lado, e por fim, é imperativo mencionar talvez o “argumento” mais importante de todos: a autonomia prolongada. É normal que profissionais dos ramos de atividade que indicamos estejam durante mais horas consecutivas longe de tomadas elétricas e outras fontes de energia que permitam recarregar a bateria de um terminal móvel.

Assim, a elevada capacidade das baterias destes terminais para acumular energia é vital. Estamos a falar de unidades que podem chegar aos 5.000 mAh, por exemplo, uma marca que chega a ser mais elevada do que encontramos em muitos powerbanks de momento à venda.

E, por falar nisso, é comum vermos estes terminais a serviram eles próprios de fontes de energia para a recarga da bateria de outros equipamentos móveis, assumindo as funções de powerbank através de cabos USB OTG normalmente presentes no pack de origem.

Está cansado de deitar no lixo smartphones atrás de smartphones? Então chegou a hora de ter um terminal robusto e “anti-tudo”. Pode escolher um dos que estão na galeria acima, são todos sinónimo de robustez e versatilidade para trabalhar nos ambientes mais adversos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.