Quase ano e meio depois de Fortnite ter chegado aos terminais Android, a Epic Games ainda não lançou oficialmente o jogo no Google Play. Para fazer o download gratuito do jogo, os utilizadores têm de o obter diretamente no seu canal, através do site oficial do jogo e mais tarde na Epic Store. Dessa forma, a editora evitou os 30% de royalties cobrados pela Google Play, e segundo a mesma, uma maior aproximação direta aos seus fãs e clientes.

O certo é que a decisão nunca foi bem-vista pelos especialistas em segurança, considerando um risco dos utilizadores menos informados possam obter o jogo em fontes alternativas e serem contaminados com malwares, o que na Google Play teria um risco reduzido, sobretudo quando se trata de um dos jogos mais populares dos últimos anos.

A Epic Games decidiu submeter Fortnite à loja digital Google Play, mas requereu uma exceção na taxa dos 30% cobrados. O presidente da empresa, Tim Sweeney, explicou depois que não procura uma exceção para Fortnite em particular, mas obter um precedente que mude as práticas da indústria dos smartphones no geral. Em declarações ao Business Insider, o líder da Epic Games refere que sendo o jogo gratuito de jogar, as receitas são geradas pelas micro-transações dos itens cosméticos e passes de temporada, é sobre este valor que a Google cobra a sua comissão.

A empresa refere que o pagamento de 30% da faturação é ilegal, no caso de uma plataforma de distribuição com cerca de 50% de quota de mercado. E dá como exemplo a sua própria loja, com um serviço de pagamento, mas que não força os produtores a utilizarem o seu ecossistema de faturação.

A Google já respondeu, e negou o pedido da Epic Games, referindo que a empresa e o jogo em questão teriam de cumprir as mesmas regras que todos os outros. Em declarações, o representante da Google afirma que também oferece múltiplas opções para as editoras distribuírem as suas aplicações. Acrescenta ainda que o modelo de negócio da empresa e a sua política de faturação permite à gigante tecnológica investir na plataforma e ferramentas para garantir que os produtores consigam construir os seus negócios, ao mesmo tempo que os mantém seguros.

Muitos apontam a Epic Games de manter o jogo na Apple Store, sob a mesma percentagem de 30% de royalties. No entanto, no caso dos dispositivos da Apple, os utilizadores não podem obter nenhuma aplicação fora do ecossistema oficial, ao contrário das apps Android que podem ser obtidas em plataformas que não a Google Play. E a Epic Games não se pode queixar das receitas da versão iOS, pois em 200 dias após o lançamento no verão do ano passado, o jogo tinha faturado qualquer coisa como 300 milhões de dólares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.