Durante o evento I/O da Google, que está a decorrer até sexta-feira, a tecnológica anunciou a disponibilidade da versão beta do próximo sistema operativo Android P. Caso tenha um smartphone compatível já poderá fazer o download e testar as suas funcionalidades até ao lançamento da versão final, previsto para agosto.

Na lista de smartphones compatíveis constam as duas gerações Pixel, versões normais e XL, o Essential Phone, Sony Xperia XZ2, Xiaomi Mi Mix 2S, Nokia 7 Plus, Oppo R15 Pro, Vivo X21 e o OnePlus 6 que ainda não chegou ao mercado. Se tem um destes dispositivos poderá avançar com a beta do Android P, mas atenção: é fácil instalar o novo sistema operativo, mas caso se arrependa ou este não seja muito estável, voltar atrás implica retomar uma versão antiga do Android e perder todos os dados do dispositivo. Convém por isso fazer uma cópia de segurança de tudo aquilo que considera importante.

Para aceder à beta, terá de visitar a página com a informação dos smartphones e proceder ao download no link associado ao respetivo dispositivo. Se tiver um Pixel, o sistema irá detetar automaticamente qual a versão que tem, mas para os restantes fabricantes terá de selecionar o modelo específico, seguindo a instruções no ecrã.

Na apresentação do Android P, ainda não foi desta que a Google revelou o significado da letra “P”, mas resolveu brincar com os convidados do evento ao utilizar a palavra-passe “p1n3appl3” no acesso à rede wireless. Mas foram demonstradas algumas das suas funcionalidades.

A Dashboard é uma função que permite os utilizadores saberem quanto tempo gastam com o smartphone de uma forma detalhada, seja para enviar mensagens, navegar pela internet, as chamadas feitas ou o acesso a conteúdos em stream. Esta funcionalidade pode ser adicionada a algumas aplicações com tendência a utilização prolongada, como o YouTube, o que faz disparar mensagens de recomendações de pausa, quando configuradas pelos utilizadores.

Através da funcionalidade Wind Down pode definir o horário de descanso à noite e o smartphone assume automaticamente o perfil “não perturbar”, mudando o ecrã para tons cinzentos. A iluminação do ecrã também foi alvo de melhorias ao introduzir inteligência artificial para identificar o brilho das preferências do utilizador, ajustando-o mediante as condições de luz na nova funcionalidade Adaptive Brightness.

O sistema de notificações foi revisto para oferecer uma maior utilidade aos utilizadores, que passam a ter mais opções sem a necessidade de abrir totalmente a respetiva aplicação. Por exemplo, nas mensagens pode responder imediatamente, com a possibilidade de adicionar fotos e stickers.

O novo sistema operativo estreia o sistema Slices, que permite aos produtores de aplicações utilizar a API do Android para introduzir sugestões contextuais associados à utilização das apps. Se pesquisarem por um táxi, aparecerá a opção para chamar um carro sem a necessidade de abrir a respetiva aplicação. O mesmo pode ser aplicado a outros serviços, como restaurantes ou espetáculos, por exemplo. As apps em geral irão também beneficiar da inteligência artificial para introduzir mais funcionalidades contextuais baseadas na sua utilização.

A autonomia dos dispositivos é uma das preocupações da Google para o novo sistema operativo. Para prolongar a bateria, foi introduzido uma aplicação de monitorização, ligando rapidamente para o modo de poupança quanto atinge certos valores de carga. Além disso, o sistema adapta-se à utilização das apps abertas com maior frequência, restringindo energia para as restantes.

Existem muitas outras funcionalidades que poderá explorar no novo Android P, tais como novas ações por gestos e o mapeamento de locais fechados no Google Maps, tais como centros comerciais. A segurança e a privacidade são também pontos trabalhados no sistema operativo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.