Os rumores apontavam para o lançamento do Office Mobile para iPad, que acabou por se concretizar, mas a principal novidade, de maior abrangência, foi a disponibilização de uma versão gratuita, sem obrigação de subscrição do Office 365, para os telemóveis Android e iPhone.



Mas esta semana não foi só a produtividade que mereceu destaque. Os jogos, como não podia deixar de ser, também ocuparam um lugar importante, ou não fossem estas as aplicações mais descarregadas das lojas, e as que conseguem maior tempo de utilização.



Mas há também uma aplicação que melhora a captura das famosas selfies, e outra que lhe permite ver se a culpa da falta de rede é do telemóvel ou do operador...


Convidamo-lo a aproveitar o resto do fim de semana e descobrir algumas das aplicações que passaram pelo TeK. Certamente encontrará algumas que vale a pena juntar à sua coleção.



Office Mobile passa a ser grátis para smartphones Android e iPhone

A novidade passou despercebida com o anúncio da chegada do pacote de produtividade da Microsoft ao iPad, mas é uma boa notícia para os utilizadores de Android e iPhone.

As aplicações já estavam disponíveis para as duas plataformas, mas exigiam a subscrição do Office 365 para pode criar ou editar ficheiros, um passo adicional que agora é ultrapassado nas novas versões, disponibilizadas nas lojas de aplicações da Apple e Google Play.

O recurso só é livre para uso privado e não para empresas, mas na prática esta restrição acabará por não ter grande efeito por ser difícil verificar qual o tipo de utilização das aplicações de produtividade. Tudo o que precisa é de uma conta Microsoft para poder fazer a ligação com o serviço de cloud OneDrive.

Com o Office Mobile os utilizadores de smartphones e tablets Android e de telemóveis iPhone e iPod Touch podem aceder, ver e editar os seus documentos do Microsoft Word, Microsoft Excel e Microsoft PowerPoint e guardá-los na cloud. O serviço funciona mesmo quando está offline, com as alterações ao documento a serem sincronizadas quando voltar a ligar-se à Internet da rede móvel ou a uma rede Wi-Fi.

O lançamento da versão para iPad já tinha sido alvo de muitos rumores, com a Microsoft a procurar recuperar terreno face a outros pacotes de produtividade para dispositivos móveis, como o iWork e o QuickOffice.

Apesar da mudança de estratégia no iPhone e Android, a Microsoft vai manter uma política diferenciada para a nova versão do Office para iPad, cuja versão gratuita só permite a visualização de documentos e não a edição ou criação, que continuam a obrigar a uma assinatura do Office 365.

Tudo indica que está também a ser preparada uma versão do Office para tablets Android, que seguirá a mesma lógica do Office para iPad.

O Office Mobile para iPhone pode ser descarregado na loja da Apple e quem já tinha instalado deverá fazer a atualização para poder ter acesso livre. O mesmo acontece na versão Android, que está disponível no Google Play.

Veja a próxima aplicação

Office da Microsoft parte à conquista dos utilizadores de iPad

A concorrência já está mais do que instalada no mundo iOS, mas a Microsoft ainda tem esperanças de ganhar uma fatia importante nas aplicações de produtividade com o Office.



Depois de muitos rumores foi concretizado o lançamento da versão para iPad, que já está disponível na loja da Apple, para download gratuito, com acesso ao Word, Excel e PowerPoint e todas as funcionalidades que já encontra no PC ou no Mac. O Outlook continua afastado da lista

A versão mobile para iOS já tinha sido disponibilizada no ano passado para iPhone, mas não tinha entrado no mundo dos tablets da Apple, deixando espaço para outras aplicações "florescerem".

Só o OneNote tinha ocupado algum espaço de forma mais tímida, como bloco de notas, mas mesmo assim muitos utilizadores reclamavam pela falta das aplicações mais conhecidas do pacote de produtividade.

O lançamento de hoje vem colmatar esta falha, mas embora a app seja gratuita exige a subscrição do serviço do Office 365 para que os documentos possam ser editados ou mesmo para criar um novo ficheiro.

Quem quiser experimentar já pode fazer uma subscrição do Office 365 gratuita durante 30 dias. A subscrição mensal custa 10 euros e é válida para 5 PCs, Macs ou tablets e dá direito a 20 GB de espaço na cloud OneDrive e 60 minutos de conversação no Skype todos os meses.

Veja a próxima aplicação

Fleksy é o teclado invisível para Android

O leitor não está equivocado. Numa das suas opções o Fleksy fica completamente invisível e ainda assim permite que os utilizadores escrevam mensagens ou emails. É caso para dizer: você nunca escreveu nada assim.

Acredite se quiser. O Fleksy é um teclado para Android que pode assumir uma forma invisível e ainda assim permitir que o utilizador continue a escrever. Tudo em nome da poupança de espaço que muitas vezes os teclados não permitem.

Esta opção especial faz uso dos comandos inteligentes do teclado com base nos gestos para adivinhar a palavra que o utilizador quer. Tente acertar no sítio onde as teclas costumam estar, e se não conseguiu a palavra desejada, deslize para baixo. Se essa também não é a palavra pode deslizar para cima e para baixo até acertar. Mas por norma não é preciso ir tão longe.

No Fleksy tudo é minimalista. Desde o design ao modo de funcionamento do teclado. Para reduzir ainda mais o espaço ocupado pelo teclado basta deslizar o mesmo com dois dedos para baixo para que este encolha. Perdeu a tecla de espaço? Deslize para a direita depois de ter terminado uma palavra.

Se tudo parece trabalhoso e confuso é porque ao início, e até experimentar, isso vai acontecer. Para ajudar a aplicação tem um tutorial de introdução. O Fleksy exige uma curva de aprendizagem significativa. Mas depois de se habituar, vai ver que estará perante um dos teclados mais intuitivos para dispositivos móveis.

A versão portuguesa está ainda em fase beta portanto além de experimentar um teclado diferenciador pode ainda contribuir para a evolução do projeto.

Veja a próxima aplicação

Descobrir as letras em modo divertido
O ABC Discover é um jogo português dirigido a miúdos com idades entre os 4 e os 6 anos, que estejam a dar os primeiros passos no mundo das letras.

O principal propósito do jogo é ensinar a desenhar letras, uma missão que deve ser acompanhada de outra: ajudar o Capitão Letrinhas a encontrar as peças do tesouro.



Os promotores do jogo garantem que o produto foi concebido para ajudar os mais novos no desenvolvimento da motricidade fina, ajudando a aprender novo vocabulário e tomando contacto com os sons de cada letra.



A app está disponível em português de Portugal e em português do Brasil, contando uma versão lite e uma versão completa. Conta com um sistema de estatísticas que permite aos pais irem monitorizando o ritmo de aprendizagem dos filhos.


Na versão completa os educadores têm detalhe sobre as experiências da criança com cada letra, o que permite ajudar sempre que são identificadas mais novidades numa letra especifica. Pode ser descarregada no Google Play, para Android.





Veja a próxima aplicação

Desafie-se e aos outros também em QuizUp
O jogo tornou-se popular no iOS e depois seguiu o caminho do costume: o caminho dos milhões de utilizadores do Android. É um verdadeiro repositório de cultura geral dividido entre milhares de jogadores.



Costuma estar sentado no sofá a ver o Quem Quer Ser Milionário e acerta em quase as questões? Acha-se em forma para que a sua cultura geral seja escrutinada por jogadores de todo o mundo? Então pegue no smartphone e descarregue a aplicação QuizUp. Ficam desde já prometidas várias horas de entretenimento.

Além de ter esta componente de multijogador à escala mundial - tão depressa está a defrontar um adulto de 40 anos dos EUA como está a defrontar uma jovem turca -, o jogo prima ainda pelas dezenas de categorias que alberga.

Na prática isto quer dizer que o QuizUp permite que cada pessoa brilhe na categoria onde mais se sente à vontade. Gosta de Android? Percebe de medicina? Gosta de cinema, mas aquilo que domina mesmo é a saga Star Wars? Há de tudo um pouco.

Cada desafio desenrola-se através de um conjunto de questões em forma de resposta de escolha múltipla que devem ser selecionadas o mais rápido possível. Quantas mais responder, no menor tempo possível, mais pontos ganha. Estes pontos servem depois para elaborar a sua classificação geral relativamente ao tema e ao mundo.

Pode, portanto, passar do anonimato para ser um guru da literatura mundial, por exemplo. Desafie-se. E aos outros também.

Veja a próxima aplicação

Tire selfies do outro mundo e ganhe um Lumia à escolha
Criada para mostrar as capacidades do SDK do Nokia Imaging, a Spaceselfie convida os seus utilizadores a tirarem autorretratos escolhendo o seu cenário espacial preferido. Os mais originais podem ganhar prémios.

As selfies devem ser tiradas com um fundo neutro de cor forte. Depois é escolher um cenário espacial à medida dos gostos de cada um e aplicar filtros para adicionar efeitos cinematográficos, aconselha-se a partir da loja do Windows Phone.

Os utilizadores que quiserem ganhar um Nokia Lumia à sua escolha poderão twittar a foto com a ashtag #spaceselfie, até ao próximo dia 5 de maio, e habilitar-se, mediante o concurso Imagin8 Mission.

A iniciativa também tem uma vertente para os programadores inscritos no programa de recompensa da Nokia, mas aqui o convite estende-se ao SDK 1.1 do Nokia Imaging em diferentes provas. O prémio principal é a oferta de uma experiência de "gravidade zero" até Cape Canaveral, na Califórnia, Estados Unidos.

Veja a próxima aplicação

A rede está sempre a falhar? A culpa é do telemóvel ou do operador?
A Internet não funciona e não consegue abrir as páginas Web, nem os emails, enquanto outros colegas navegam no telemóvel sem problema? A aplicação Netradar pode ajudá-lo a perceber de quem é a culpa.

Seja por wi-fi ou 3G/4G, estas falhas de acesso podem deixar os nervos de muitos utilizadores em franja, sem perceberem as razões que justificam a indisponibilidade do acesso aos serviços dos quais estão cada vez mais dependentes, sejam eles as redes sociais, o email ou as aplicações de mensagens instantâneas.

Um grupo de investigadores da universidade finlandesa de Aalto decidiu por isso criar uma aplicação que permite avaliar o estado das redes de comunicação, verificando as velocidades de download e upload mas também a latência, que se torna bastante relevante em algumas aplicações.

A app aponta ainda as redes que estão disponíveis na proximidade, fazendo um mapa das melhores ligações das redondezas e ajudando os utilizadores a manterem um registo histórico da qualidade da sua ligação.

O Netradar está disponível gratuitamente para Windows Phone, Android e iOS e tem servido também como base para uma análise da qualidade dos equipamentos em termos de sintonização de rede. E o iPhone está fora da lista dos smartphones com as ligações mais rápidas...

Veja a próxima aplicação

Tags nas fotos chegam à aplicação móvel do Twitter
O Twitter lançou novas funcionalidades para a sua app, que reforçam a sua vertente social. Os utilizadores podem agora "etiquetar" até 10 "amigos" em fotos e publicar até quatro imagens por post.

Apesar das diferenças em cada mensagem publicada, os tradicionais 140 carateres continuam à disposição na rede de microblogging, garantem os responsáveis numa publicação feita a partir do blog da empresa.

Todos os utilizadores do Twitter marcados na imagem receberão notificações de aviso - tal como ocorre no Facebook.
A partir de agora também será possível partilhar até quatro fotos num mesmo tweet, que automaticamente irão criar uma colagem.

Os utilizadores podem escolher a ordem e a localização de cada uma numa visualização prévia antes da sua publicação.

A possibilidade de postar até quatro fotos já está disponível para iOS e ficará disponível em breve para o sistema operativo móvel Android e a partir do site.

Estas são as sugestões que escolhemos esta semana, mas amanhã há mais...


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.