As notícias sobre o lançamento de aplicações e funcionalidades sucedem-se e os últimos dias não foram exceção. Pelo “crivo” do TEK passaram algumas que lhe deixamos já a seguir, como a KiddZtube, a Zedge e a Memrise.

Além das seis aplicações que costumam fazer o conjunto de escolhas da semana, sugerimos-lhe que espreite outras duas que também foram notícia: o Snapchat que comemorou mais um aniversário com novos filtros de realidade aumentada, e a Headspace, que o ensina a meditar em 10 minutos.

Startup portuguesa quer pôr crianças a ver vídeos online de forma segura. E a aprender

A MagikBee é uma startup de Braga que já soma outras “apostas” internacionais no seu portfólio e agora propõe mais uma: a app KiddZtube.

A KiddZtube apresenta-se como um substituto do YouTube para crianças com menos de 7 anos, apostando em vídeos apropriados para a idade, desde música a desenhos animados. O objetivo vai mais além e passa igualmente pela aposta na oferta de uma experiência interativa e educativa.

São neste momento mais de 1.000 vídeos escolhidos “a dedo” de canais de YouTube por um grupo professores que trabalham conjuntamente com uma equipa de seis pessoas da MagikBee. São, normalmente, vídeos populares entre os mais novos, mas também com potencial para serem explorados com perguntas customizadas, de acordo com os conteúdos em causa.

“Os vídeos são escolhidos um a um e de seguida são construídas questões que trabalham áreas linguísticas, matemática, identificação de emoções, cores, atividades, etc”, explicou Hugo Ribeiro, da MagikBee, ao TEK. “As perguntas estão sempre contextualizados no vídeo que estão a ver para que o processo de visualização das crianças seja mais ativo e não passivo”.

 

Cabe aos pais personalizarem toda a experiência dos seus filhos, podendo ativar ou desativar categorias e até ativar ou desativar os quizzes. “Se a criança ainda não estiver por exemplo familiarizada com a formação de palavras, o pai poderá apenas desligar esse tipo de quizzes”.

A MagicBee garante que os pais têm total controlo sobre o que o filho vê, o tempo que vê e ainda têm estatísticas sobre quais são as áreas de desenvolvimento em que a criança é melhor e aquelas que precisam de ser reforçadas.

A app está só disponível em inglês, “mas é também uma boa forma das crianças portuguesas aprenderem a falar e a ficar familiarizadas com o inglês desde pequeninas, dado que o inglês faz parte dos planos curriculares cada vez mais cedo”, justifica. A intenção é trabalhar diferentes áreas de aprendizagem como: spelling, counting, emotions, colors, activities e directions.

A KiddZtube tem duas versões disponíveis: a versão KiddZtube Lite, que permite experimentar a aplicação, e a versão premium, que custa €5,99 e que abrange os tais mais de 1.000 vídeos, 7.000 quizzes e permite controlar toda a experiência da criança com acesso a um dashboard detalhado. Por enquanto só está disponível para  iOS, mas está prevista uma versão para Android.

Twitter duplica número de carateres. Mas para já só em algumas línguas

Os fãs do microblogue já se habituaram a dizer muito com pouco, mas para a grande maioria ter mais algum espaço para escrever é uma mudança bem vinda. O Twitter está agora a testar os 280 carateres.

A novidade foi anunciada no blogue da empresa e a ideia é dar mais espaço para os utilizadores se exprimirem. No post Aliza Rosen, gestora do produto, admite que às vezes é difícil limitar uma ideia ou uma emoção em inglês, português, espanhol ou francês, ao contrário da experiência simplificada em línguas como o japonês, coreano e chinês.

Agora o Twitter decidiu fazer um teste e duplicar o número de caracteres disponíveis em várias línguas. Para já está apenas acessível a um grupo limitado de utilizadores mas poderá tornar-se uma nova norma, substituindo os 140 carateres tradicionais no microblogue.

Apesar de reconhecer que o Twitter foi pensado para a "brevidade" e que muitos utilizadores têm uma ligação emocional aos 140 carateres, a gestora garante que quer que menos pessoas se debatam com o limite nas suas publicações.

 

Na verdade o Twitter já tem feito algumas alterações nesse sentido, como deixar de contar os links e os conteúdos multimédia

O teste está a ser aplicado nas várias versões do Twitter, incluindo a app para iOS e Android, e outras plataformas.

 

Zedge: esta aplicação quer garantir maior personalização do smartphone

Se está farto dos mesmos fundos de ecrã e toques de sempre, a app Zedge pode ser uma ajuda importante na personalização do seu smartphone ou tablet.

A aplicação faz uma coisa bastante simples: propõe fundos de ecrã e toques para poder alterar o aspecto do seu smartphone ou tablet sempre que quiser. E isso fez da Zedge uma aplicação bastante popular, com mais de 200 milhões de instalações só em Android.

A utilização é simples e há coleções temáticas para quem quer ter tudo a combinar, com imagens de desporto ou de filmes, embora seja também possível escolher entre as muitas opções que a app oferece. E há também temas relacionados com épocas festivas, como o Dia dos Namorados ou o Dia das Bruxas.

A app está disponível gratuitamente para Android e iOS mas neste caso as funcionalidades são mais limitadas.

 

Memrise vai pô-lo a jogar para aprender uma língua estrangeira  

Há diversas opções para aprender línguas nas lojas de aplicações, só que esta faz parte do grupo das melhores deste ano para a Google Play. Já se percebeu que está disponível para Android, mas também existe para iOS.

O conceito é o de gamification, aqui aplicado ao ensino de uma língua estrangeira. Traduzido por miúdos, quer dizer que vai aprender determinado idioma como se de um videojogo se tratasse. Ou mais ou menos.

Na base há todo um enredo que o transforma num recruta para o lado dos “bons”, os da Aliança, que irá lutar contra os “maus”, da Frente Uniformista. Para completar as tarefas que lhe são atribuídas, vai ser necessário ir aprendendo o idioma escolhido.

 

O objetivo é incentivá-lo ao longo do estudo, avançando nos diferentes níveis de jogo, conforme avança nos níveis de aprendizagem, com diferentes pontuações.

Para começar a jogar - ou melhor, a aprender - vai ter de se registar através de uma conta Facebook ou Google ou criar uma conta com um endereço de email.

Em português de Portugal, de momento, a Memrise para Android só tem uma língua disponível para aprender, o inglês, em nível principiante ou avançado. Tem também versão para iOS e Web.

Super Mario Run ganha nova personagem, novo mapa e novo modo de jogo

O update é lançado a par de uma promoção que vai reduzir o preço do jogo para metade.

Se pensa que já terminou Super Mario Run, prepare-se para tirar novamente o jogo da gaveta. A 29 de setembro, sexta-feira, a Nintendo lança uma nova atualização que trará uma nova personagem, um novo mundo e um novo modo de jogo. A confirmação foi feita no Twitter da empresa este sábado.

O update vai introduzir o modo Remix 10, que junta 10 secções aleatórias de níveis que o utilizador já completou, gerando um novo mapa instantâneo. Completar os vários níveis existentes neste modo vai resultar no desbloqueio da Princesa Daisy.

A partir de dia 29 os jogadores vão ainda poder desbloquear o World Star. Este mundo traz nove níveis novos, inimigos e mecânicas nunca antes vistas em Super Mario Run.

O Polygon escreve que existem ainda outras atualizações menores que vão ser instaladas com o próximo update, como a possibilidade de ouvir a sua própria música enquanto joga e a introdução de novos items colecionáveis.

Adicionalmente, a Nintendo vai ainda aplicar um desconto de 50% no preço do jogo, que custa atualmente 10 euros. A promoção vai estar em vigor entre o dia 29 de setembro e 12 de outubro.

Leia aqui a nossa análise a Super Mario Run.

O seu smartphone precisa de uma máquina do tempo?

A app que hoje lhe propomos ajuda a voltar atrás no tempo, mas só para recordar o que esteve a ver no ecrã do smartphone ou do tablet.

Chama-se Fluxy: Time Machine e ainda é um projeto experimental mas já faz uma boa parte do que se propõe fazer: captar tudo o que se passa no ecrã do smartphone ou tablet. Depois pode recuperar toda a atividade numa timeline cronológica, que pode ser filtrada por aplicação.

Sempre que o ecrã é tocado há um screenshot, mas também pode definir uma captura de ecrã mais intensiva. E se está preocupado com o espaço que isto ocupa, pode definir um espaço máximo de alojamento e a qualidade das imagens captadas, ou o número máximo.

É ainda possível programar as aplicações que quer manter fora deste controle, e as que quer ter sempre "acompanhadas".

A app está disponível gratuitamente para Android no Google Play mas algumas das funcionalidades podem exigir pagamento.