O Spotify pode em breve rever a sua política de gratuitidade e sobre a qual a empresa se tornou num dos nomes mais importantes na distribuição música digital. A tecnológica sueca pode em breve limitar o número de faixas disponíveis para os utilizadores que não subscrevem o serviço. Isto é, só quem tem o Spotify Premium é que receberá determinados álbuns completos e poderá aceder à lista de músicas de determinados artistas.

A empresa nórdica não está numa posição muito confortável já que tem estado a renegociar o licenciamento de músicas com três das maiores editoras mundiais: Sony, Universal e Warner. Bros. Os contratos atualmente em vigor só são válidos até 1 de outubro, o que pode indicar que as mudanças estarão para breve.

Quem avança com os relatos é a publicação Digital Music News, que fala na aposta de um modelo “de portão” por parte do Spotify.

O facto de o serviço permitir que utilizadores freemium acedam a todo o catálogo de músicas é visto pela indústria como algo que não convence as pessoas a suscreverem o serviço - o que resulta em menores receitas para os artistas.

Esta lógica já fez com que dois nomes da música mundial - Taylor Swift e Prince - tivessem abandonado o Spotify. Isto numa altura em que a concorrência está a aumentar.

As informações ainda não foram confirmadas ou desmentidas por nenhuma das partes, mas as fontes ouvidas dizem que as mudanças podem avançar logo no início de 2016.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.