Depois de a Direção Geral da Saúde (DGS) ter confirmado que a STAYAWAY COVID tinha iniciado a fase de testes de segurança, indicando que terminariam dentro de duas semanas, Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, confirmou que a aplicação portuguesa de rastreamento de contactos vai estar disponível a partir da próxima semana. Em preparação para o lançamento oficial, a aplicação já se encontra disponível para Android na Play Store da Goolgle.

Numa conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva afirmou que a fase de testes estava concluída e que restava agora que as lojas de aplicações disponibilizassem a STAYAWAY COVID.

“A aplicação está pronta, fez todos os testes de segurança. Há um período que é necessário para que ela seja disponibilizada nas lojas das diferentes plataformas tecnológicas que usamos nos nossos telemóveis e a informação que tenho é que na próxima semana ela já estará disponível para ser descarregada”, avançou a ministra.

Recorde-se que além do compasso de espera pela aprovação da STAYAWAY COVID pela Google e pela Apple, que no caso da empresa da maçã demorou cerca de um mês, a aplicação teve de passar ainda por uma avaliação da Comissão Nacional de Protecção de Dados e por  testes do Centro Nacional de Cibersegurança.

Em declarações ao Público, Manuel Mendonça, presidente do Instituto de Engenharia de Sistemas de Computadores, Ciência e Tecnologia (INESC TEC), deu a conhecer que “o processo tem sido aos solavancos”. No entanto, o responsável que está a coordenar o desenvolvimento da aplicação mantém o otimismo. “O lançamento oficial será no começo da próxima semana, mas a aplicação deve ficar disponível nas lojas online ainda durante o fim-de-semana e nós esperamos uma boa adesão”, indicou José Manuel Mendonça.

A implementação da aplicação tem sido polémica e têm sido apresentadas várias questões relacionadas com a segurança e privacidade, que o INESC TEC tem refutado, garantindo que a proteção dos utilizadores é uma prioridade e que o objetivo é que a aplicação possa trazer benefícios ajudando a identificar contactos de risco de pessoas infetadas, e quebrando novas cadeias de contágio.

O que revelam os testes à STAYAWAY COVID?

Ao todo, a 14 de agosto, já 1.850 pessoas se tinham registado para experimentar a versão piloto da aplicação e José Manuel Mendonça afirmou que, para já, o nível de adesão é positivo. O SAPO TEK testou a STAYAWAY COVID tanto em dispositivos Android como iOS, se bem que, no último caso, nos tivéssemos deparado com algumas dificuldades no processo.

Tentámos instalá-la num iPad mas a indicação que foi dada era de que o equipamento não era suportado, apesar de na informação ser claro que a app é suportada em iOS 8 ou superior e em Apple TV usando tvOS 9.0 ou superior. Assim, solicitámos um novo código, como o que tínhamos pedido já não podia ser usado novamente, para testar noutro equipamento e estamos a aguardar.

À medida que a STAYAWAY COVID se prepara para fazer a sua “estreia” nas lojas digitais da Google e da Apple, o presidente do INESC TEC afirmou que que “Quantas mais pessoas instalarem melhor, mas os números de downloads não são tudo”.

“Na Europa, a adesão deste tipo de aplicações tem sido entre 5% e 8% em alguns países, mas o que interessa não é só quantas pessoas instalam: é quantas pessoas potencialmente infectadas com covid-19 são atempadamente avisadas.”, sublinhou José Manuel Mendonça.

Nota de redação: A notícia foi atualizada com informação relativa à chegada da STAYAWAY COVID à Play Store da Google. (Última atualização: 14h02)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.