A Asus aproveitou o primeiro dia da Comic Con, a decorrer no Passeio Marítimo de Algés, para apresentar o novo Asus Rog Phone. Um smartphone que a marca refere como “Game Changer”, um dispositivo construído para trazer o gaming ao formato portátil. A Asus afirma que continua a ser um smartphone, “o melhor para o uso do dia a dia”, ou seja, a empresa não quer que os utilizadores tenham um equipamento reservado à produtividade e comunicações, e outro para jogar, mas sim todas as experiências no mesmo dispositivo.

O telemóvel está equipado com um processador Snapdragon 845 da Qualcomm a 2,96 GHz, uma mudança de chip depois de uma longa parceria com a Intel. Neste sentido, embora tenha o mesmo processador utilizado em outros equipamentos de topo de gama, este modelo foi configurado para ter o gaming como prioridade. Tem ainda uma placa gráfica Adreno 630 da Qualcomm, até 8 GB de RAM e 512 GB de armazenamento interno.

O seu ecrã de 6 polegadas apresenta cores vívidas e suporte a HDR dinâmico, com um contraste 10.000:1, o que proporcionará uma experiência de jogo sem blur e latência, afirma André Gonçalves, representante da Asus em Portugal. O equipamento apresenta uma taxa de refrescamento de 90 Hz e 1ms de tempo de resposta, totalmente sincronizado com o processador.

Uma característica que destaca este smartphone como “adotado” para o gaming é o sistema Level Up, um nome alternativo ao habitual overcloaking do sistema, o que permite por exemplo, libertar toda a RAM do sistema e direcionar ao jogo. Nesse sentido, o dispositivo entra num modo especial, prevenindo que outras atividades e aplicações consumam a RAM ou distraiam os jogadores, como por exemplo notificações de mensagens e outros.

Um dos problemas nas plataformas e dispositivos dedicados ao gaming é o aquecimento. Nesse sentido, o sistema Gamecool utiliza uma câmara interior do dispositivo que permite aumentar até 16 vezes a área de arrefecimento do smartphone, refere a Asus. Além disso, tem um dispositivo externo que arrefecimento ativo, o Aeroactive Cooler.

A Asus desenhou o smartphone para ter a ergonomia como prioridade, otimizando o equipamento para jogar em modo landscape (horizontal) e colocou dois gatilhos na lateral para jogar, por exemplo, FPS, em que um botão aponta a arma e o outro dispara. A vibração permite ainda uma melhor experiência de jogo, semelhante ao típico “rumble” dos comandos das consolas.

E por falar em consolas, a Asus fez uma parceria com fabricantes de acessórios para expandir o smartphone aos monitores e até transformá-lo num desktop, no qual se podem ligar ratos e teclados, numa experiência quase nula de latência, como o SAPO TEK pôde constatar nas unidades de demonstração disponíveis no evento. Para tal utiliza uma dockstation Mobile, para ligar periféricos por USB 3.0 ou HDMI, por exemplo. Os periféricos trabalham através de uma frequência totalmente livre, de 60 GHz, o que permite uma resposta imediata.

Outra doca permite-lhe adicionar um segundo ecrã e obter uma experiência semelhante à 3DS, da Nintendo. Esta Twinview Dock, além de ecrã tátil, adiciona uma bateria extra de 6.000 amperes, aos 5.000 amperes do smartphone. Por fim, um adaptador introduz sticks analógicos, localizados nas extremidades do smartphone, uma inspiração que é mais uma vez da Nintendo e da sua consola Switch.

André Gonçalves referiu ao SAPO TEK que a entrada da ROG no mercado mobile é uma aposta séria, não só pelo hardware de topo que compõe o smartphone, a sua otimização, como pelos periféricos para satisfazer todas as necessidades dos jogadores. Além disso, a Asus fez uma parceria com uma equipa de eSports que ajudou a testar e otimizar o equipamento, para que nada faltasse.

O Asus ROG Phone chegará ao mercado no final de outubro, mas ainda não foram divulgados preços das diferentes variações e acessórios.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.