O iPhone X chegou às lojas no passado dia 3 de novembro. Celebra a primeira década de existência da linha de smartphones da Apple e é o telefone mais caro de sempre a ser lançado pela tecnológica norte-americana. O conjunto de especificações de topo e o design são os seus maiores atrativos, mas os testes de resistência feitos pela SquareTrade sublinham uma desvantagem que pode ser nevrálgica para alguns utilizadores.

Numa queda frontal, simulada pela empresa a 1,80 metros de altura, o iPhone X despedaçou-se de imediato. O ecrã deixou de funcionar e o sistema de reconhecimento facial deixou de conseguir identificar o utilizador.

 

O mesmo se passou durante a queda lateral, sendo esta a que mais danos internos causou ao equipamento. Neste caso, não só a zona traseira ficou estilhaçada, como o display ficou completamente inoperacional.

Ainda na senda dos choques acidentais, o equipamento foi submetido a uma sequência de embates contínuos durante 60 segundos. O teste, protagonizado com o auxílio de uma caixa giratória, também não foi abonatório para o smartphone. O resultado foi um ecrã com fissuras, ainda capaz de reconhecer o toque, mas sem capacidade para identificar o deslize de menu inicial que aqui serve como Home Button.

Debaixo de água, este modelo fez-se valer do seu certificado de resistência IP67, resistindo a 30 minutos de imersão, a 1,5 metros de profundidade. A SquareTrade adianta, no entanto, que, durante este teste, o áudio que estava a ser reproduzido no telefone foi interrompido por algumas vezes.

Recorde-se que que se o seu iPhone X protagonizar um destes acidentes, o arranjo não lhe vai ficar nada barato. Na verdade, este não só é o iPhone mais caro de sempre, como é também o mais dispendioso de reparar. Na Alemanha, por exemplo, os utilizadores poderão ter de pagar até 611 euros por uma reparação.

"Era expectável pagar-se um preço mais elevado por um telemóvel tão bonito como iPhone X", escreve, em comunicado, Jason Siciliano, vice-presidente global da direção criativa da Square Trade. "Infelizmente para os consumidores, o preço final pode ser bem superior aos cerca de 1000 euros que investem inicialmente. Apesar de a Apple dizer que este é o vidro mais resistente de sempre de um smartphone, o iPhone X é o iPhone mais frágil que testámos até agora. A fragilidade do iPhone X, juntamente com os quase 500 euros que a Apple cobra por reparações, tornam-no num modelo de risco elevado", conclui.

Note que a SquareTrade atribui à fragilidade deste equipamento um 90 (numa escala de 0 a 100). Veja o vídeo completo através deste link.

Em suma, não será má ideia proteger o seu iPhone X com uma capa bem resistente.