Naquela que diz ser mais uma das apostas de um "esforço contínuo para reduzir as emissões de dióxido de carbono na Europa e tornar as contas da energia mais baratas" a Comissão Europeia (CE) adota esta terça-feira novas medidas de design ecológico em vários electrodomésticos como televisões e máquinas de lavar roupa. Entre os vários objetivos a estratégia pretende prolongar a vida útil dos objetos.

Pela primeira vez, as regras incluem requisitos de reparação e reciclagem e para a CE estas medidas contribuem para o cumprimento dos objetivos da economia circular, melhoria da vida útil dos equipamentos, como também a sua reutilização, atualização, reciclagem e gestão dos resíduos dos aparelhos.

Vêm aí coimas até 5 milhões para quem não cumprir regras dos resíduos elétricos e eletrónicos
Vêm aí coimas até 5 milhões para quem não cumprir regras dos resíduos elétricos e eletrónicos
Ver artigo

A decisão estabelece assim que todos os frigoríficos, máquinas de lavar louça e roupa, televisões e monitores, fontes de alimentação, motores elétricos, frigoríficos de venda ao público, transformadores e máquinas de soldar disponíveis no mercado cumpram com estas regras a partir de 2021. Para a CE estas medidas de melhoria do design ecológico ajudam a implementar o princípio adotado em março para as etiquetas de eficiência.

Estas medidas juntam às novas regras adotadas em março deste ano para as etiquetas de eficiência energética dos produtos e de acordo com a CE ambas podem levar a uma poupança de 150 euros por ano às famílias europeias e de 167 TWh de consumo, o que equivale ao consumo energético anual da Dinamarca. Para além disso, irão corresponder a uma redução de mais de 46 milhões de toneladas equivalente a dióxido de carbono.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.