Muitos haviam avançado que a Qualcomm tinha abandonado o mercado dos processadores para os relógios inteligentes, mas um novo processador está a caminho. A empresa justificou este período de ausência referindo que o chip anterior não era mais que uma versão modificada dos que são equipados nos smartphones. Já a nova geração foi construída de raiz para equipamentos wearable.

Os novos processadores vão chegar na época natalícia, em smartphones Wear OS produzidos por diversos fabricantes. A empresa refere que a nova plataforma de processamento será a primeira a conter chips integrados desenhados com um determinado propósito e para diferentes variações. As empresas podem construir versatilmente os relógios da forma como querem que as pessoas os utilizem.

Curiosamente, uma das preocupações da Qualcomm é a autonomia dos smartwatchs, que muitas vezes é contrariada pela estética dos equipamentos. Um smartwatch continua a ser um relógio, e ao contrário de um telemóvel que quando está no bolso pode desligar o ecrã, o wearable no pulso tem de manter a elegância.

Nesse sentido, a informação e iluminação do visor têm de ser balanceados para manter o aspeto agradável, mas que ao mesmo tempo não “derreta” a sua bateria. O fabricante de processadores parece ter essa ideia definida, prometendo que o novo processador foi desenhado para prolongar o tempo de vida das baterias, seja em smartwatchs, como pulseiras de fitness e outros equipamentos.

Veja alguns dos smartwatch low cost que estão atualmente no mercado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.