Ao que parece, a Apple não será a única marca a vender smartphones sem carregador. Depois de a Samsung ter retirado todas as publicações que fez nas redes sociais, onde brincava com o facto de a gigante tecnológica ter deixado de incluir o acessório nas caixas dos seus equipamentos, deixando no ar a ideia de que se prepara para fazer o mesmo, a Xiaomi anunciou que o seu próximo telefone topo de gama, o M11, não será vendido com carregador incluído.

A justificação apresentada está em linha com a razão dada pela Apple para a tomada desta decisão. A empresa defende que a maioria dos consumidores já tem outros carregadores na sua posse e que isso torna possível a comercialização de aparelhos mais sustentáveis. A fabricante também vai poupar materiais na produção de embalagens e espaço no processo de distribuição.

iPhone 12 não tem carregador na caixa. Fabricantes de Android respondem com memes
iPhone 12 não tem carregador na caixa. Fabricantes de Android respondem com memes
Ver artigo

A gigante chinesa tem uma conferência marcada para hoje, 28 de dezembro, para debater a decisão. A empresa reconhece que esta medida pode ser pouco razoável para potenciais compradores, uma vez que pode afastá-los dos seus produtos.

A decisão está também a ser criticada, não por conta da sua dimensão ambiental, mas porque alarga as margens de lucro da Xiaomi. A tecnológica não teceu quaisquer comentários acerca da possibilidade de baixar os preços dos seus telemóveis.

Com duas marcas no lote e uma hipotética terceira, é possível que venhamos a ver outras fabricantes a tomar medidas semelhantes, pelo que esta pode muito bem ser uma tendência para a indústria dos smartphones em 2021.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.