A Apple está a lançar um novo programa de reparações nos Estados Unidos, oferecendo aos clientes opções adicionais para as “reparações mais comuns do iPhone que já não estão dentro da garantia". O anúncio foi feito esta quinta-feira em comunicado pela empresa da maçã, que garante que vai fornecer às empresas “mais independentes”, sejam elas grandes ou pequenas, as mesmas peças, ferramentas, treino, manuais de reparação e diagnósticos genuínos, como acontece com os seus AASPs (Apple Authorized Service Providers).

O objetivo do projeto, que deverá ser alargado a outros países, é melhorar as necessidades dos clientes. "Estamos a facilitar aos reparadores independentes nos EUA a utilização dos mesmos recursos da nossa rede de provedores de serviços autorizados da Apple", explica diretor de operações da Apple.

"Acreditamos que a reparação mais segura e confiável é realizada por um técnico treinado, usando peças genuínas que foram devidamente projetadas e rigorosamente testadas", acrescenta Jeff Williams.

Tem telemóveis ou portáteis antigos avariados? A Apple lançou um programa-piloto de reparação
Tem telemóveis ou portáteis antigos avariados? A Apple lançou um programa-piloto de reparação
Ver artigo

Este novo programa está complementado no investimento contínuo da empresa da maçã na sua crescente rede global de mais de 5.000 AASPs e, segundo a Apple, não terá de ser pago qualquer valor para participar no programa.

Para se qualificarem no novo programa, as empresas precisam de integrar um técnico certificado pela Apple que possa fazer as reparações, sendo-lhes fornecidas peças qualificadas, ferramentas, treino, manuais e diagnósticos originais da gigante tecnológica pelo mesmo custo que os AASPs. "O processo de certificação é simples e gratuito", garante a Apple.

Este programa surge um ano e meio depois de a lei “direito de reparação” ter chegado à Califórnia, onde a Apple está sediada, possibilitando que as empresas passassem a disponibilizar guias de reparação e peças oficiais de substituição aos seus clientes ou profissionais independentes para fornecer um serviço de qualidade. Esta medida tornou o mercado das reparações mais competitivo, aumentando a sua qualidade e diminuindo os preços das faturas.

Recorde-se que em agosto o iFixit reportou uma mensagem de aviso do iPhone, que alertava todos os utilizadores que não trocaram a bateria através dos serviços da Apple, mesmo no caso das baterias originais. Sem um profissional certificado pela Apple (Apple Genius) ou um provedor de serviços autorizado da empresa, o iPhone passou a não exibir a “saúde” da bateria, reportando um problema vago.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.