O Windows 10 viola ou não a privacidade dos utilizadores? O debate tem existido desde o dia em que o novo sistema operativo ficou disponível para os utilizadores. Mas como algumas questões continuavam a persistir, a Microsoft decidiu publicar várias informações no seu blogue onde nega “espiar” as pessoas.

O vice-presidente e responsável da divisão Windows, Terry Myerson, admite que o software faz recolha de dados, mas salienta que são dados relacionados com a segurança e com a experiência de utilização. Por exemplo, qual a identidade do PC e o número de vezes que determinadas aplicações “crasham”.

“Isso não inclui nenhum dos vossos ficheiros ou conteúdos e tomamos várias medidas adicionais para evitarmos colecionar qualquer informação que vos identifique diretamente, como o nome, email ou conta de identificação”, escreve o executivo.

Terry Myerson deu mesmo um exemplo positivo, dizendo que através destes dados a Microsoft conseguiu em conjunto com uma fabricante resolver um problema de compatibilidade de hardware num pequeno conjunto de utilizadores.

A Microsoft garante ainda que não vasculha as informações dos utilizadores para fins publicitários e que o Windows 10 tem um menu de definição de partilha de dados que pode ser ajustado por qualquer utilizador, em qualquer momento.

“Garanto-vos que nenhuma outra empresa está mais comprometida, é mais transparente do que nós e a ouvir afincadamente os consumidores neste tema importante ”, salientou Terry Myerson na publicação.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.