No dia 19 de setembro o vulcão Cumbre Vieja da ilha de La Palma, nas Canárias, iniciou uma erupção que ao longo de quase dois meses não mostra sinais de abrandamento. Pelo contrário, pelas observações que continuam a ser feitas, os especialistas parecem salientar que o vulcão ainda está mais explosivo e violento que no seu início. O vulcão consegue fazer descargas de lava que chegam aos 700 metros por hora, gerando temperaturas superiores a 1.000 Celsius, além dos milhares de toneladas de dióxido de enxofre descarregados por dia na atmosfera. Atualmente estão a ser expelidos entre 9 a 13 mil toneladas por dia.

Na última quarta-feira, dia 10 de novembro, a lava voltou a atingir as águas do oceano Atlântico, na zona da praia de Los Guirres. O fenómeno originou colunas de vapor de água, devido ao choque térmico. Estas colunas estão contaminadas com partículas de ácido clorídrico, que podem ser perigosas para a saúde, nas zonas perto do ponto da evaporação. Os geológicos dizem ainda que a praia está a mudar de forma, pois a lava está a formar uma península.

Veja na galeria as imagens de satélite do vulcão:

A população continua a ser evacuada dos bairros próximos, sobretudo no leste da ilha, pelo avanço perigoso da lava. Ainda assim, nos últimos dias tem vindo a registar-se uma pequena melhoria na qualidade ar.

Segundo o Departamento de Segurança Nacional de Espanha, o vulcão já afeitou mais de 988 hectares de terreno, com fluxos de lava capazes de atingir os 3.000 metros. Também se continuam a sentir tremores de terra registados nos municípios vizinhos, com magnitudes entre os 2,2 e 3,7 na escala de Ritchier.

Na galeria de imagens pode ver fotografias da atividade da lava captada nos últimos dias pelas entidades de vigilância do fenómeno, assim como imagens de satélite sobre a expansão dos rios de lava, e como estes estão a moldar a geografia da ilha das Canárias.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.