Está a decorrer mais uma Blizzcon, a conferência anual de fãs da Blizzard no centro de convenções de Anaheim, Estados Unidos, onde são anunciadas novidades para os jogos do seu catálogo. A conferência de abertura ficou marcada por um momento sério e até constrangedor para a empresa, com o seu presidente J. Allen Brack a fazer um pedido de desculpa pela polémica em torno do castigo aplicado ao vencedor do Grand Master de Hearthstone, por ter demonstrado o seu apoio às manifestações em Hong Kong. “Fomos muito rápidos a reagir e a aplicar o castigo, mas depois fomos muito lentos a recatar-nos e tomarmos uma posição sobre a situação. E como tal, assumimos as consequências”, sublinhou o líder da editora, merecendo-lhe palmas do público.

Pazes feitas com os fãs, a Blizzard disparou para todos os lados, as novidades que levou na bagagem, confirmando os rumores das últimas semanas de que Diablo 4 iria finalmente ser oficializado e mostrado, assim como Overwatch 2. O primeiro jogo apresentado foi mesmo o novo capítulo de Diablo, lição aprendida com o evento do ano passado, cuja revelação final foi uma adaptação para smartphones da série, o que revoltou os fãs da empresa. A Blizzard tinha assim uma dupla missão para este ano, apagar a falta de novidades de 2018, e os eventos de Hong Kong, pelo que não se poupou a “meter toda a carne no assador”.

Diablo 4, ainda sem data marcada, vai chegar ao PC, PS4 e Xbox One em simultâneo e pretende regressar às origens dos primeiros dois jogos, no que diz respeito ao tom negro e mais violento, ainda que apresente muitas das mecânicas do terceiro título, nomeadamente a perspetiva isométrica, assim como o suporte para quatro jogadores. O jogo será totalmente online, pelo que nas aldeias estão disponíveis hubs de jogadores, que à semelhança de jogos como Destiny, podem formar equipas, mas também entrar em arenas PvP, lutando entre si. Promessa feita, mas nunca concretizada para Diablo III. Foram já confirmadas algumas classes com o Barbarian e o Druid, presentes no jogo.

A empresa falou ainda do trabalho que está a realizar com a inteligência artificial DeepMind, e como esta está cada vez melhor a jogar StarCraft II, desafiando os presentes a tentar vencer a IA, nos computadores presentes no evento. Revelou ainda a Blizzard Arcade, um Hub de jogos clássicos da empresa, salientando Rock & Roll Racing, Blackthorn e Lost Vikings disponíveis para os presentes. Anunciou ainda que a neta de Warcraft III Reforged reforçou o número de jogadores para a beta, incluindo dos os presentes na conferência e os detentores do bilhete digital da Blizzcon.

A surpresa seguinte seria a nova expansão de World of Warcraft chamada Shadowlands. A cinemática de apresentação mostrou Sylvanas e Lich King, e vai transportar os jogadores para um plano astral onde estão as grandes lendas de Azeroth. Mais uma oportunidade, certamente, para rever caras conhecidas.

Hearthstone também teve direito à apresentação de um novo set/expansão de cartas dedicadas a dragões, com o nome de Descent of Dragons. Para além de novas cartas, a Blizzard revelou um novo modo de jogo chamado Battlegrounds, para oito jogadores, encostando-se no novo género de Auto Chess.

Para fechar a cerimónia, a Blizzard confirmou Overwatch 2, puxando a história dos famosos heróis para a frente. O novo jogo vai apresentar novos heróis, mapas, Hero Missions e um modo core chamado Push. Os heróis agora sobem de nível e desbloqueiam habilidades, mas mais importante é que todos os conteúdos desbloqueados/adquiridos do primeiro jogo transitam para a sequela, o que permite assim uma passagem mais suave dos fãs para o novo capítulo. Todas as personagens vão também ser alvos de um redesign, transitando para o novo motor da empresa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.