Há 13 anos que a comunidade de Flight Simulator não recebe um novo título da série, um hiato que passou ao lado de toda uma geração de gamers. Mas o jejum será quebrado bem a tempo do verão, com a data marcada para o dia 18 de agosto. E as boas notícias é que o simulador vai entrar para o catálogo da Xbox Game Pass for PC, o que significa que os subscritores do serviço não vão pagar pelo jogo. Já é possível fazer a pré-instalação através da aplicação do Windows 10.

Existem muitas novidades para o novo reboot, considerando que o primeiro estreou em 1982, ou seja, há 38 anos, na altura considerado a experiência mais fiel ao estar nos controlos de um avião comercial. Para o reboot a Microsoft contou com o estúdio francês Asobo, que conseguiu o projeto depois de uma demonstração feita para o Holo Lens.

O estúdio está a criar um mundo massivo à escala real, partilhado entre todos os jogadores. Nele inclui-se condições meteorológicas reais, que devem ser lidadas de forma realística, assim como o tráfego aéreo. Existem diferentes modos multijogador que os jogadores podem optar, com regras distintas.

Se um jogador sair da partida, o computador assume o controlo, mantendo o avião no ecossistema, para que não haja efeitos de “triângulo das Bermudas” em que os aparelhos desaparecem misteriosamente do ar. Outro aspeto importante é que os servidores utilizam dados streamline, por isso os pilotos virtuais só vão ver os aviões que estão perto de si.

Para entusiasmar os fãs, a Microsoft partilhou alguns detalhes do novo jogo, incluindo a área total da simulação do planeta com mais de 1,5 mil milhões de edifícios, 2 biliões de árvores, montanhas, estradas, rios e outros elementos geográficos reconhecíveis.

A developer teve acesso a quase 2 Petabytes de dados, contendo todas as cidades do planeta: quase dois milhões de localizações, assim como todos os aeroportos do mundo (45 mil). E para rechear a paisagem, todas as estradas e montanhas do planeta através de dados do Bing Maps da Microsoft, que estão à disposição do estúdio para utilizar no jogo. Para já, para o lançamento da base de Flight Simulator, foram escolhidas 400 cidades, entre elas Barcelona, Bruxelas, Copenhaga, Florença e Zurique.

O computador Azure está mesmo a ser utilizado para os últimos detalhes, para que cada casinha das cidades tenha a cor da sua versão real e que o tipo de árvores esteja relacionado com o seu ecossistema.

O jogo promete ainda ajudar os jogadores iniciantes, com um sistema de check list para aprenderem a controlar os aviões, desde os instrumentos automáticos ao controlo total manual.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.