Depois de ter transformado as corridas de automóveis da Formula E, o fundador Alejandro Agag revelou a E1 Series – World Electric Boat Series e a ideia é oferecer corridas em alta velocidade em barcos alimentados por baterias elétricas. Para já ainda não existe um calendário de provas, mas sim um conceito, com a apresentação dos veículos que vão “rasgar” a água.

Os chamados raceBirds são barcos individuais, construídos pela SeaBird Technologies, movidos a propulsão elétrica, numa estrutura de hidrofólio, capaz de atingir velocidades de 60 nós (111 km/h). Sophi Horne, fundadora e CEO da SeaBird refere que estes barcos utilizam a mais avançada tecnologia nos motores. O barco, que mede 4,8 metros de comprimento e tem 380 quilos, tem uma forma alongada capaz de praticamente flutuar pela água, aumentando a sua eficiência em cerca de 80-90%.

O barco tem uma bateria de 30 Kw com capacidade de carregamento total em 30 minutos, tendo sido totalmente construído em fibra de carbono, consistindo numa única peça.

O objetivo é realizar competições entre 12 equipas durante diversos fins-de-semana, repartidos entre as fases de teste, qualificação, assim como eventos de eliminação. As provas concedem pontos para determinar o campeão do mundo no final da temporada.

A organização já referiu algumas localizações onde quer realizar as competições, como o Senegal, Arábia Saudita, Nepal, Brasil e Gronelândia, que incluem diferentes cenários como desertos, florestas e glaciares, para igualmente difundir uma mensagem ecológica de como as alterações climáticas estão a modificar a Terra. A associação à UNICEF e o facto da comitiva da organização se deslocar pelo mundo num antigo navio da Royal Mail como um “paddock flutuante”, totalmente restaurado e modificado para reduzir emissões, dão alento a esse conceito ecológico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.