Há muitas formas de olhar para a informação e os investigadores da System Sounds sabem que uma das melhores formas de os "ouvir" é transformar os dados em música. E foi isso que fizeram com os números que recolheram da atividade científica ligada à exploração do espaço, e das missões Apollo.

Giant Leaps é a peça musical que produziram com mais de 50 anos de informação, numa homenagem ao aniversário da chegada à Lua da missão Apollo 11, a 20 de julho de 1969, que se assinalou este fim de semana.

Os ecos do dia histórico, e os sons subjacentes, tornam a peça única, e servem de banda sonora a todos os que olham para o espaço com o mesmo entusiasmo e sonho de conquista desta nova fronteira.

Foi escolhido um fundo de orquestra para dar uma grande "paisagem sonora" ao projeto, permitindo a ligação emocional com os dados por meio da música.

Integrados na peça instrumental estão sons relevantes dos arquivos da NASA, incluindo o lançamento de áudio e diálogo da Apollo com astronautas e o controle da missão Apollo, mas também momentos relevantes a nível de discurso político "Nós escolhemos ir ao discurso da lua" do presidente John F. Kennedy serve como narração para a peça. A melodia resultante é uma unificação de arte, matemática e ciência.

Piano, cordas e percurssão para tocar dados

Os dados foram recolhidos desde a década de 1960 até agora e o Google Scholar foi utilizado para recolher o número de artigos, citações e patentes de um determinado ano que correspondiam às palavras-chave escolhidas. Depois os instrumentos foram programados para tocar as notas de acordo com a evolução da atividade científica ligada à Lua.

As cordas e o piano elétrico tocam a evolução da atividade ligada ao programa Apollo, os instrumentos de sopro a atividade científica associada a todas as outras missões lunares, enquanto os instrumentos de percussão indicam a passagem do tempo. Meses são representados pelo tique taque do relógio, anos pela Tarola e décadas pelo Bombo.

O tom sobe e desce para marcar os dois “picos” da exploração lunar: a era Apolo e a era moderna. A altura é maior nos anos 60 e início dos 70, quando 11 missões tripuladas da Apollo foram lançadas na Lua, mas cai no final dos anos 70 e 80, quando o programa Apollo terminou e a NASA ainda não tinha começado a lançar missões robóticas lunares. Dos anos 2000 aà atualidade, o tom sobe dramaticamente com uma nova onda de missões lunares da Nasa, com a Clementine, Lunar Prospector, Lunar Reconnaissance Orbiter, LCROSS, ARTEMIS, GRAIL e LADEE.

Andrew Santaguida, Matt Russo e Dan Tamayo são os artistias por trás desta criação, juntando as competências de músicos, astrofísicos e programadores da SYSTEM Sounds, um projeto de divulgação da arte da ciência que traduz o ritmo e a harmonia do cosmos em música e som.

"Giant Leaps é sobre alcançar o próximo pico e experimentar os vales no meio ", explica Matt Russo. “Há a explosão de excitação na época dos lançamentos e desembarques da Lua. Então parece que a empolgação diminui, mas acabou sendo apenas a configuração dos picos muito maiores que ainda estavam por vir. ”

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.