A Nebulosa do Véu é uma das mais conhecidas supernovas e deve o seu nome às estruturas de filamentos delicadas que a constituem, e que são ainda efeito da explosão de uma estrela vinte vezes maior do que o nosso Sol há mais de 8 mil anos.

Com uma extensão superior a 110 anos luz, a nebulosa é uma das mais vastas e o seu estudo tem sido realizado por vários investigadores, que analisam os efeitos da explosão e os restos de matéria que permanecem no Espaço.

As imagens que a NASA e a ESA agora divulgaram resultam de uma composição de seis fotos captadas pelo Hubble e que cobrem apenas uma pequena porção da grande estrutura. As imagens foram comparadas com outras fotografias captadas em 1997, permitindo verificar a evolução da expansão da nebulosa.

Os detalhes revelam os traços de diferentes gases e a onda da explosão que ainda está em movimento, produzindo uma combinação de cores que parece obra de um artista.

O modelo de visualização 3D foi criado com objetivos meramente recreativos, revelando as estruturas complexas, com o hidrogénio a vermelho, sulfúrio a verde e o oxigénio a azul. 

 

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.