Na altura ainda não se sabia, mas o voo de 18 de janeiro em que deixou de comunicar com a Terra foi a derradeira viagem do Ingenuity. O pequeno helicóptero está com uma das pás da hélice danificada e impedido de subir “aos céus” de Marte para sempre, anunciou a NASA.

Aquele que foi o 72º voo do Ingenuity serviria para determinar a localização do helicóptero, depois de ter sido necessário fazer uma aterragem de emergência durante o voo anterior. De início correu tudo bem, com a descolagem e o Ingenuity a chegar aos 12 metros de altitude, como planeado, e a pairar durante 4,5 segundos antes de descer e de deixar de comunicar com o rover Perseverance quando estava a cerca de um metro da superfície, levando a que a transmissão de dados entre a Terra e a aeronave também terminasse.

Quaisquer receios de que a situação fosse incontornável ficaram respondidos em menos de 48 horas, com a NASA a anunciar que tinha recuperado o contacto com o helicóptero. Na altura a equipa desconhecia os danos “materiais”, que só foram visíveis através da câmara do Ingenuity, em imagens que mostram a sombra da pá danificada. O choque do pequeno helicóptero com a superfície marciana é uma das hipóteses avançadas para os estragos causados.

O fim teria que acontecer um dia, mas o Ingenuity superou em muito os seus objetivos iniciais. Quando o pequeno helicóptero começou a explorar os céus em Marte, em abril de 2021, estavam previstos apenas até cinco voos de demonstração da tecnologia, por um período de 30 dias.

Clique nas imagens para mais detalhes

Entre os marcos históricos do Ingenuity alcançados em Marte está a realização do primeiro voo controlado e motorizado noutro planeta, um feito que tem sido comparado ao momento dos "Irmãos Wright" na aviação.

Apesar de ser bem-sucedido na maior parte das vezes, nem todos os voos foram perfeitos. Por exemplo, o 53º voo acabou por terminar mais cedo do que o esperado, aos 74 segundos dos 136 segundos previstos.

No voo exatamente anterior (o 52º), a equipa responsável pela missão apanhou um susto, ao perder contacto com o helicóptero durante a aterragem. A NASA só voltou “a falar” com o Ingenuity 63 dias depois.

“A viagem histórica do Ingenuity, a primeira aeronave a voar noutro planeta, terminou”, disse Bill Nelson, administrador da NASA. “Esta máquina voadora impressionante voou mais alto e mais longe do que a NASA imaginou e ajudou a agência a fazer o que faz melhor: tornar o impossível, possível”.

Veja o vídeo do legado do Ingenuity preparado pela NASA

E é assim que, depois de ter acumulado um total de 128,3 minutos de voo, cobrindo uma distância de 17 quilómetros e atingindo altitudes de até 24 metros, o Ingenuity vai passar pelos os últimos testes, ver descarregados os últimos dados e imagens captadas e “descansar” para sempre na superfície do planeta vermelho.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.