Inspirado na I Guerra Mundial, o Trench é um jogo abstrato de estratégia que envolve simultaneamente Matemática, História e Ciência Militar e que simula a dinâmica da logística e tática da guerra em trincheiras.

Seja na versão física ou digital, a colocação das peças no início do jogo é feita por fileiras, na horizontal: um General; dois Coronéis; três Capitães; quatro Sargentos; três Soldados; dois Soldados; um Soldado (fecha o losango). As peças pretas começam a partida.

Cada peça do Trench tem o seu movimento específico e está limitada a movimentos entre uma a cinco casas, conforme a sua patente.

Não é permitido alterar a trajetória da movimentação previamente traçada, mas nenhuma peça é obrigada a percorrer a totalidade das casas que a sua movimentação lhe permita.

O General, cuja movimentação lhe permite avançar até cinco casas,por exemplo, pode optar por avançar apenas uma, duas, três ou quatro casas. Esta regra aplica-se a todas as peças, exceto ao soldado que por movimentar-se apenas uma casa é sempre obrigado a percorrer a totalidade da sua movimentação.

Todas as peças têm o seu raio de ação delimitado pelas peças amigas ou inimigas, ou seja, nunca podem passar por cima de outras peças. Para capturar peças ao adversário, move-se a peça para a casa da peça a tomar, retirando a peça do adversário do tabuleiro e o movimento termina imediatamente.

A trincheira é representada pela linha horizontal no centro do tabuleiro. Quando uma peça é colocada em cima dessa linha é considerado estar na trincheira, usufruindo assim dum conjunto de vantagens estratégicas, mas também algumas restrições. Essas vantagens e restrições são compostas por exceções às regras até agora mencionadas.

Por exemplo, uma peça que se encontra na Trincheira não pode ser atacada por uma peça adversária que se encontre no território adversário - uma peça branca que esteja em território branco não pode atacar uma peça preta que esteja colocada na Trincheira.

É a versão digital destas "movimentações de tabuleiro" que é hoje apresentada no Instituto Superior Técnico (IST), em Lisboa, numa nova etapa do projeto classificada como "incontornável" pelo seu criador.

"Este não é um simples jogo, obra de arte ou instrumento lúdico-educativo: é tudo isso sob a forma de um conceito que tem vindo a interessar especialistas académicos, militares e gamers profissionais, para além do público em geral. É por isto que o Trench é um sucesso e não será uma moda passageira", garante Rui Alípio Monteiro.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.