O CEO da Microsoft, Satya Nadella, já havia discutido durante o evento Build 2018, a necessidade de munir cada individuo ou instituição com ferramentas para levar os seus objetivos mais além. A empresa fundada por Bill Gates quer colocar a tecnologia ao favor dos mais carenciados, e em muitas áreas, ignorados pela indústria. É o caso da dificuldade com que pessoas com deficiências motoras têm para aceder ao entretenimento proporcionado pelos videojogos. E assim, tal como o SAPO TEK tinha avançado há dias, a Microsoft confirma o seu comando especial para a Xbox One e Windows 10, o Xbox Adaptive Controller. Segundo a empresa, o novo comando é o resultado de quase três anos em pesquisa e desenvolvimento.

Para construir o novo comando, os engenheiros estudaram as principais limitações físicas dos dedos para chegar a botões como os “bumpers” e “triggers”, que por norma necessitam de ser premidos por períodos mais prolongados. Foi preciso encontrar novas soluções alternativas de controlos que se adaptem às necessidades individuais de cada utilizador. Para tal, a Microsoft fez parcerias com instituições espalhadas pelo mundo, tais como a The AbleGamers Charity, The Cerebral Palsy Foundation, Craig Hospital, SpecialEffect e Warfighter Engaged. Desta forma, a tecnológica teve acesso aos relatórios de necessidades, e sobretudo, lidar com jogadores com limitações físicas.

Baseado nas conclusões das necessidades, o novo comando tem dois grandes botões na base do comando, que podem ser reprogramados para qualquer funcionalidade disponível no controlador normal, através da app da Xbox. A Microsoft teve também o apoio de fabricantes de comandos que contribuíram com tecnologia para o projeto, incluindo o Extreme 3D Pro Joystick da Logitech e o Game Controller da Quadstick.

O comando tem opção plug-and-play, ligando-se à Xbox One ou PC com Windows 10 através de Bluetooth, sendo alimentado da mesma forma que o convencional Elite. Invés de uma forma ergométrica para utilizar com duas mãos, este comando tem uma base retangular com 28x15 centímetros com os tais dois botões a ocupar grande parte da superfície. Estes botões não são táteis, mas podem ser ativados para serem sensíveis a pressões ligeiras, que permitam aos utilizadores deslizar a sua palma da mão ativando as funcionalidades sem exercer muita força nos mesmos. Para ajudar, cada botão tem um som diferente associado quando premido.

O comando tem funcionalidades que podem ser associadas a um jogador, sendo possível gravar até três perfis de configurações. Um botão possibilita comutar entre utilizadores, mesmo durante uma partida de um jogo.

O que torna este periférico único são os 19 portas de entrada de 3.5mm na traseira do comando, que correspondem a cada botão de um comando tradicional, como se pode observar pelos símbolos associados. Desta forma, cada utilizador pode ligar as suas próprias ferramentas de acessibilidade que eventualmente já utilizariam, sendo de imediato associados às funções que necessitam do comando. Segundo a Microsoft, este sistema de plug-and-play é configurado em tempo real, sem a necessidade de reiniciar a consola se algo não correr como esperado.

Quando revelou o comando, a Microsoft partilhou a história de uma utilizadora que fazia parte do programa de testes. Ela tinha danos na coluna que a impediam de mexer os dedos para jogar, e em menos de cinco minutos estava a jogar Call of Duty, em dificuldades elevadas em cooperação com o seu irmão, que a ajudava com o analógico direito.

O comando vai chegar às lojas no final do ano, a um preço de 100 dólares, mas a Microsoft vai levá-lo para a E3 em junho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.