Peter Higgs e François Englert viram hoje premiada uma descoberta feita por ambos há 50 anos (o mecanismo Brout - Englert - Higgs), e que acabou por ser confirmada no ano passado, com a descoberta da partícula fundamental em experiências realizadas através do acelerador de partículas do CERN.



A teoria formulada pelos investigadores foi fundamental para compreender a origem da massa das partículas subatómicas e é hoje uma parte essencial do Modelo Padrão da física de partículas. Foi pela primeira vez publicada em 1964, em dois artigos assinados por Robert Brout, François Englert e Peter Higgs.



A 4 de julho do ano passado foi anunciada a descoberta da partícula de Higgs, no âmbito das experiências ATLAS e CMS, que envolveram mais de 3 mil pessoas em todo o mundo.



A descoberta já tinha valido aos investigadores o Prémio Príncipe das Astúrias e um lugar no top 10 dos maiores avanços da ciência em 2012, na revista Science. Agora garante uma das maiores distinções a nível mundial na área da física: o prémio atribuído pela Academia Nobel.



Um vídeo preparado pelo CERN no ano passado, para apresentar na conferência onde detalhou e introduziu ao mundo a descoberta explica a teoria e a experiência que permitiu confirmá-la no terreno.





Fica ainda um outro vídeo que explica de forma mais visual o conceito da "partícula de Deus".



Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.